Santos ampliará malha para bicicletas em 60%

Prefeitura vai entregar mais 21 quilômetros de faixas exclusivas até o fim de 2015; uso de bikes por santistas é maior durante a semana

Mônica Reolom, O Estado de S.Paulo

07 Dezembro 2014 | 02h03

SANTOS - Enquanto os moradores da capital paulista começam a sentir o impacto das ciclovias em suas vidas e a avaliar a possibilidade de usá-las com frequência, quem vive em Santos, no litoral de São Paulo, há tempos incorporou as vias exclusivas para bicicletas em suas rotinas.

Desde 2003, quando a ciclovia da orla foi instalada, 35 quilômetros de faixas exclusivas para ciclistas surgiram pela cidade. Esse número vai subir 60%, para 56 km, até o fim do ano que vem, principalmente para contemplar as regiões carentes da cidade, como a zona noroeste, em que a bicicleta é um dos meios de transporte mais usados.

"Santos é uma cidade plana e não muito extensa, o que facilita o uso desse modal no dia a dia pelos trabalhadores. Há uma utilização 25% maior das ciclovias durante a semana em relação aos fins de semana", explica o prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB). Em uma cidade de 420 mil habitantes, a média é de 45 mil viagens de bicicleta por dia.

Em São Paulo, em comparação, o movimento é contrário: a estimativa é que nos fins de semana o número de bicicletas nas ruas seja 83% maior do que durante a semana, segundo a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo).

Um dos motivos para santistas preferirem as bikes aos carros é o trânsito. "Uso diariamente a bicicleta para ir trabalhar e demoro uns 20 minutos para chegar. Nos horários de pico, certamente eu demoraria mais de carro para chegar do que demoro dessa forma", afirma o comerciante João Cordeiro, de 26 anos. "Em Santos, desde pequenos somos incentivados a usar bicicletas, até para ir à escola. É mais saudável e já faz parte da cultura da cidade", diz.

Sócio-proprietário da Bike Shop Santos, Igor Michalichen, de 34 anos, explica que teve de mudar a estratégia de sua loja, aberta há cinco anos. "Nós abrimos com foco em um público esportista e percebemos que tem crescido cada vez mais o número de ciclistas urbanos, que querem usar a bike para ir de casa para o trabalho."

Há 6,3 km de ciclovias em construção, que devem ficar prontos até o meio de 2015, e outros 14,8 km que serão entregues até o fim do ano que vem. Outro projeto que será ampliado é o Bike Santos, sistema de empréstimo que tem 60 mil cadastrados e é responsável por 2 mil viagens por dia na cidade.

Mais conteúdo sobre:
Santos bicicletas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.