Sangue no carro de Alexandre era de Isabella, reafirma IC

Apesar de não ter conseguido extrair DNA, diretor do órgão diz que mancha tem perfil genético da menina

Carolina Freitas, Agência Estado

13 de maio de 2008 | 18h10

Os peritos do Instituto de Criminalística (IC) sustentam que o sangue encontrado no carro e no apartamento de Alexandre Nardoni era de Isabella Nardoni, de 5 anos, morta em 29 de março. Em entrevista coletiva concedida nesta terça-feira, 13, o diretor do Núcleo de Perícia em Crimes Contra a Pessoa, do Instituto de Criminalística, José Antonio de Moraes, afirmou que foi possível identificar que o perfil genético do sangue encontrado é compatível ao de Isabella, mesmo não tendo sido possível extrair o DNA do material.   VEJA TAMBÉM Pai de Isabella é transferido do 13º Distrito Policial Pai de Alexandre diz que mãe mentiu em entrevista Julgamento pode ocorrer em 2009, diz promotor Justiça mantém pai e madrasta de Isabella na prisão Imagens da prisão do casal  Fotos do apartamento onde ocorreu o crime  Cronologia e perguntas sem resposta do caso  Tudo o que foi publicado sobre o caso Isabella     Moraes confirmou ainda que houve tentativa de limpar o sangue, tanto no carro, como no apartamento. "Encontramos indícios que apontam para o casal, agora, ficará nas mãos da Justiça", ressaltou, reiterando que os laudos são conclusivos.   O diretor de divisão do Instituto Médico Legal (IML) Central, Carlos Alberto de Souza Coelho, também presente à entrevista coletiva, disse que apesar de conclusivos, os laudos "não esgotam o assunto". Coelho colocou os peritos do IML à disposição da Justiça. "Se houver qualquer dúvida, o IML poderá fazer novos estudos até que todas as questões sejam resolvidas", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
Caso Isabella

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.