Saints of Valory, ou como se faz o parto de uma banda

Na Cidade do Rock, às 21h33 de ontem, no Palco Sunset, pouco mais de mil pessoas testemunharam a estreia de uma banda no mundo do pop rock. Mas o nascimento do Saints of Valory teve condimentos para a sua profecia de futuro: o som era tecnicamente perfeito; o grupo foi ovacionado pela pequena plateia; os músicos testaram os próprios instrumentos e o som antes do show.

O Estado de S.Paulo

15 Setembro 2013 | 02h01

"Como vai, Rio? Nós somos o Saints of Valory, de Austin, Texas", disse, em inglês, o vocalista Gavin Jasper. Parecia apenas um grupo de gringos distanciado, mas a segunda fala de Jasper foi em português. "É nosso primeiro show no Brasil. É uma honra fazer o primeiro show aqui num festival tão lendário. Somos americanos, mas nosso primeiro ensaio foi aqui, em Vargem Grande", disse Jasper, que é filho de americanos e morou até os 14 anos no Brasil. O som do SoV é inspirado pela música do U2, em especial na cozinha, na bateria e no baixo. Mas na penúltima música, The Bright Lights, ficou claro o quanto emprestam do Coldplay. Ao contrário de muitos dos vocalistas-baixistas, o instrumento de Gavin não é decorativo. E o quarteto não é de grandes exibicionismos: grupo homogêneo, jogao em equipe.

É curioso: presenciar o nascimento de uma banda e de seu fã-clube é como presenciar um parto. Tudo é difícil, o primeiro contato, o relacionamento, as primeiras palavras. Mas parece que deu liga. O Saints of Valory tem humildade, entusiasmo, coragem, vontade, honestidade. Tem pinta de que vai vingar o rebento. / JOTABÊ MEDEIROS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.