Saídas de Pinheiros e Iguatemi vão ser pela faixa de ônibus

Para especialista, novos estacionamentos devem complicar a Faria Lima; clube diz que a sugestão veio da CET, que não vê impacto

Márcio Pinho, O Estado de S.Paulo

24 Março 2011 | 00h00

Em apenas duas quadras, a já congestionada Avenida Faria Lima, na zona sul, ganhará em breve mais 1.460 vagas de estacionamento que vão atrair ainda mais veículos. A maior parte - 860 - será do Esporte Clube Pinheiros, que recebeu em fevereiro autorização para construir seu novo estacionamento, que terá entrada e saída pela Faria Lima.

Será exatamente na faixa da direita, que é preferencial para ônibus, uma das mais lentas da cidade - eles chegam a trafegar a menos de 10 km/h.

O restante das novas vagas será do Shopping Iguatemi, que constrói mais 600 lugares de estacionamento. O prédio tem opção de entrada e saída de seu estacionamento pela Avenida Faria Lima, também pela faixa dos ônibus, ou então pela rua lateral, a Angelina Maffei Vita.

O Pinheiros afirma que o objetivo é resolver um gargalo. Com as 800 vagas já existentes no estacionamento que tem entrada pela rua lateral ao clube, a Tucumã, não é raro os frequentadores terem de recorrer às também escassas vagas de Zona Azul.

A ampliação é tida como principal necessidade pelo clube, após recente pesquisa com os sócios - 68% deles usam o estacionamento. Com a ampliação, serão no total 1.660 vagas, quase o total oferecido pelo Shopping Iguatemi hoje -1.812.

A Faria Lima, local escolhido para a entrada e saída, no entanto, é um ponto crítico de trânsito na região. Os motoristas disputam cada pedaço de pista nos horários de pico, em meio aos vários semáforos e cruzamentos.

Quem vai de ônibus paga a conta. Às 15h30, o sistema de monitoramento da São Paulo Transporte (SPTrans) mostrava que os ônibus trafegavam em média a 9 km/h no sentido zona sul, lado onde fica o Clube Pinheiros. A velocidade era menor que a de corredores de ônibus críticos, como o da Avenida Ibirapuera (17 km/h no sentido bairro) ou o da Rebouças (11 km/h no sentido bairro, às 17h de ontem).

Sem impacto. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) afirma que as novas vagas do Clube Pinheiros não provocarão impacto significativo no trânsito e "as ruas do entorno estão aptas a receber o fluxo". Entretanto, diz que, se houver alguma alteração no comportamento do trânsito, o clube se responsabilizará pela implementação da sinalização horizontal e vertical.

A certidão de diretrizes, que autoriza o estacionamento, foi publicada em fevereiro no Diário Oficial. Segundo o clube, a saída pela Faria Lima foi uma exigência da CET, e a entrada pela via, uma recomendação de estudo do órgão. A reportagem tentou, sem sucesso, entrevista com o presidente do clube, Antonio Moreno Neto.

Para o consultor de tráfego Horácio Augusto Figueira, o estacionamento acabará sendo mais um item para dificultar o fluxo de ônibus na Faria Lima. "A Prefeitura continua omissa em relação à fluidez do transporte coletivo por ônibus."

Ele opina ainda que para a Faria Lima, a necessidade era de um corredor de ônibus na faixa da esquerda. A reportagem procurou a CET novamente na noite de ontem, mas o órgão afirmou não ter tempo hábil para consultar técnicos e comentar o possível impacto da ampliação do estacionamento do Shopping Iguatemi. O shopping não se manifestou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.