Saída do feriado tem trânsito abaixo da média

CET registra 95 km de lentidão, às 19h, índice considerado baixo para o horário; mas tráfego foi intenso nas rodovias

O Estado de S.Paulo

15 Novembro 2012 | 02h11

A saída para o feriado prolongado da Proclamação da República e do Dia da Consciência Negra surpreendeu o paulistano e registrou trânsito abaixo da média. Os motoristas enfrentaram 95 km de lentidão, às 19h, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) - considerado baixo para o período. O pico de engarrafamento foi registrado às 17h30, com 139 km.

As piores lentidões foram encontradas na Marginal do Tietê (12,4 km) e no corredor Norte-Sul da 23 de Maio (7 km). Uma colisão entre um carro e uma moto na Avenida dos Bandeirantes deixou uma pessoa morta, mas nenhuma faixa foi interditada. Uma das explicações para o trânsito mais tranquilo seria o tempo, já que a previsão é que o feirado comece com dia nublado e possibilidade de chuva. Só no domingo, o clima deve melhorar.

Mas, nas estradas, o movimento foi intenso. O motorista enfrentou ontem 20 km de congestionamento na Rodovia Régis Bittencourt (BR-116) no início da noite de ontem. Às 19 horas, o trânsito estava lento com paradas desde o km 325, em Juquitiba, até o 345, em Miracatu.

O trecho inclui a Serra do Cafezal, que tem pista simples. A Polícia Rodoviária Federal adotou a Operação Descida, com o fechamento do pedágio do km 370, em Miracatu, para melhorar o tráfego, mas o motorista que ia em direção à capital teve de parar para esperar a vez de seguir.

Já nas rodovias Castelo Branco e Raposo Tavares, a situação era inversa: quem saiu até o início da noite de São Paulo encontrava a estrada quase livre. Às 19 horas, a Castelo tinha trânsito lento, mas com poucas paradas, apenas entre o km 18, em Osasco, e o km 25 em Barueri. Dali para frente, o trânsito estava igual ao de um dia comum.

O tráfego também ficou lento na via Anchieta do km 59 ao km 60, em Cubatão e na chegada a Santos, do km 63 ao km 65. Houve lentidão na rodovia dos Imigrantes no sentido litoral, entre o km 62 e km 65, e no sentido capital, entre o km 58 e km 56. Para quem pretende aproveitar o feriado na Baixada Santista, o movimento no Sistema Anchieta/Imigrantes deve seguir intenso até as 17h de hoje.

Mais de 1,8 milhão de veículos devem deixar São Paulo ao longo do feriado, segundo a CET. Apenas no Sistema Anhanguera/Bandeirantes, a expectativa é de que 1,2 milhão de carros circulem no período do feriado, segundo a concessionária que administra as rodovias.

Para fugir do maior fluxo de veículos, o motorista deve evitar pegar estrada no horário de pico, previsto entre as 9h e 15h de hoje. O maior movimento de retorno deve ocorrer no domingo, das 14h às 21h, e terça, das 15h às 20h.

São Sebastião. O sistema de travessia por balsas no litoral paulista ganhou ontem duas novas embarcações, que deverão reduzir o tempo de espera nas filas para embarque. A maior delas foi entregue para a travessia São Sebastião/Ilhabela, com capacidade para 70 veículos. Agora o sistema no litoral norte passa a contar com seis embarcações. Em Santos, uma balsa para 50 carros também foi entregue.

Segundo o diretor presidente da Dersa, Laurence Casagrande Lourenço, a sexta embarcação aumentará a capacidade operacional da travessia de 330 para 470 veículos por hora e diminuirá o tempo média de espera em 20%. Para o feriado são esperados 33 mil veículos.

Segundo Lourenço, a embarcação entregue ontem em São Sebastião é a terceira das cinco novas adquiridas pela Dersa, e custou R$ 7,7 milhões.

A nova balsa é do tipo catamarã, com dois cascos, e tem banheiros, o que não existe nas balsas operadas pela Dersa. Segundo a empresa, a balsa é mais leve e econômica. Na viagem inaugural, ela ultrapassou duas balsas e fez o percurso em sete minutos, ante a média de 15 a 2o minutos das demais. / JOSÉ MARIA TOMAZELA e REGINALDO PUPO, CLARICE CUDISCHEVITCH e DANIELLE VILLELA, ESPECIAL PARA O ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.