Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Saiba quem está isento do rodízio e como vai funcionar a nova medida em São Paulo

Anúncio motivou questionamentos por parte da população

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

07 de maio de 2020 | 19h49

Com o objetivo de tentar elevar a taxa de isolamento social, o prefeito Bruno Covas (PSDB), anunciou na manhã desta quinta-feira, 7, um novo esquema de rodízio de veículos na cidade. O objetivo é reduzir a circulação de pessoas na cidade e tentar conter a disseminação do coronavírus. O anúncio, no entanto, motivou questionamentos por parte da população.

Veja abaixo as principais dúvidas: 

Como vai funcionar o novo rodízio?

Os carros com placas de final ímpar (1, 3, 5, 7 e 9) só poderão circular nos dias ímpares. Os carros com placa final par (0, 2, 4, 6 ou 8) só poderão circular nos dias pares. Essa é a mudança importante em relação à regra anterior: o número da placar define quem deve circular. No modelo antigo, o número da placa definia restrição de circulação.

O rodízio vai valer em que período do dia?

O rodízio valerá para as 24 horas de cada dia. Antes, ele acontecia em dois períodos, das 7h às 10h e das 17h às 20h.

Onde haverá restrição de circulação?

Em toda a cidade de São Paulo. Antes, o rodízio valia apenas para o centro expandido da capital paulista, no chamado centro expandido.

O rodízio começa na próxima segunda-feira, dia 11. Por exemplo: no dia 11 de maio, só poderão circular os carros com placas ímpares; os carros pares estão proibidos de deixar a garagem. No dia 12, terça-feira, vale o contrário: podem circular apenas os carros pares.

Até quando o novo rodízio vai durar?

Segundo a prefeitura, ele valerá enquanto durar a pandemia do novo coronavírus.

Quando é dia de rodízio?

Todos os dias, incluindo sábados e domingos. Antes, a restrição era de segunda a sexta-feira. Os veículos devem se revezar dos veículos ao longo da semana.

Quem está excluído do rodízio?

Carros da polícia, do Exército, prestadores de serviço de rede elétrica e de gás e também veículos da área da saúde.

Qual o valor da multa?

O descumprimento do rodízio rende multa de R$ 130,16 ao infrator, além da perda de quatro pontos na sua CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

E os profissionais da saúde?

Médicos estão isentos do rodízio. Os profissionais de saúde devem fazer um cadastro junto à prefeitura para ficarem fora da medida de restrição de circulação. O cadastro terá de ser feito em até 10 dias, por meio de envio de dados como CPF, nome, estabelecimento em que trabalha o profissional e a placa do veículo. As multas que forem aplicadas nos próximos 10 dias a esses profissionais serão descartadas posteriormente. Os profissionais devem enviar email para: isencao.covid19@prefeitura.sp.gov.br

Boa parte dos carros que circulam em São Paulo são de outros municípios. Como eles serão multados?

A secretaria Municipal de Mobilidade e Transporte esclarece que o sistema de multas não terá alterações. Veículos de outros municípios continuam a ser multados na cidade de São Paulo se infringirem as novas normas. A multa vai chegar ao município de origem do veículo. 

Dentro do centro expandido, os radares flagram a infração ao rodízio, mas fora dele não há como registrar. São os agentes de trânsito que aplicarão as multas?

Também de acordo com a secretaria, os radares de toda a cidade estarão programados para flagar o desobedecimento ao rodízio fora do centro expandido. Os agentes de trânsito também continuam a fiscalizar. 

O que acontece nos meses com 31 dias?

Carros de placa final par não poderão circular por dois dias seguidos na virada dos meses com 31 dias. Isso vai acontecer nos dias 31 de maio e 1º de junho, por exemplo. Nesses dois dias, apenas os veículos com placar ímpar terão permissão para trafegar pela cidade. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.