SILVIO AVILA / AFP
SILVIO AVILA / AFP

Saiba quais os protocolos shoppings e outros estabelecimentos terão de cumprir para reabrir em SP

Governo do Estado anunciou nesta quarta-feira novo modelo de quarentena para ser adotado a partir do dia primeiro de junho

João Prata, O Estado de S.Paulo

27 de maio de 2020 | 16h36

Junto com o anúncio do novo modelo de quarentena para o Estado de São Paulo, o governo divulgou também nesta quarta-feira um documento com protocolos de recomendações específicas para cada setor da economia. Em linhas gerais, o pedido é para que os proprietários controlem o fluxo de pessoas, respeitem o isolamento social, orientem para o uso de máscaras, disponibilizem álcool em gel e evitem promoção de eventos.

De acordo com o governador João Doria (PSDB), a retomada será dada nas cidades que tiverem redução consistente no número de casos, nas que tiverem disponibilidade de leitos nos hospitais públicos e privados, e nas que obedecerem o distanciamento social. 

Shopping e centros comerciais

O pedido é para "não realizar evento de reabertura". E também "limitar a permanência de pessoas a 35% da capacidade do estabelecimento, mesmo em áreas externas ou abertas". 

O documento ainda pede restrição à "abertura de cinemas, operações de entretenimento e atividades para crianças" e que alarmes sejam utilizados "a fim de convocar os funcionários para a lavagem periódica de mãos." 

As embalagens devem ser higienizadas e as lojas devem estimular a compra online como "a apresentação de produtos e a coleta de pedidos através de redes sociais."

Setor imobiliário

As visitas aos imóveis e às imobiliárias devem ser evitadas e realizadas somente se for imprescindível. A orientação é para incentivar o contato online. 

Se houver a necessidade de visita ao imóvel que seja feita "por uma família por vez, com agendamento prévio e respeitando regras de distanciamento e equipamentos de proteção". As prestadoras de serviços deverão disponibilizar máscaras. 

Os stands de vendas devem ser ventilados e as recepcionistas devem ficar afastadas das demais pessoas presentes. O documento informa que "alimentos não devem ser fornecidos no interior do stand e água deve ser fornecida em embalagens individuais e descartáveis."

Setor Automotivo

A orientação é para implementar o serviço "leva e traz" como iniciativa para evitar a entrada de clientes na oficina. Ao receber o veículo e ao finalizar os trabalhos "realizar a higienização de acessórios internos e externos."

Antes de iniciar os trabalhos também foi recomendado proteger bancos, volante e manoplas. "Reforçar ao cliente a importância de higienizar o ar-condicionado e trocar o filtro."

Na realização de um test drive, "preferir a ocupação de apenas uma pessoa por veículo (quando necessário haver duas pessoas, a segunda deve sentar-se no banco de trás do lado oposto ao motorista)." O documento também orienta o uso da balaclava sempre que for utilizar o capacete.

Para tentar evitar aglomerações, o atendimento aos clientes nas concessionárias deve ser feito com controle de acesso ao showroom, preferencialmente com agendamento prévio. Também cabe aos proprietários fornecer máscaras aos colaboradores e às pessoas que vierem a entrar no interior da loja.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.