Sacos suspeitos são abandonados em frente à secretaria estadual

Durante a madrugada, policiais do Gate foram chamados e explodiram o conteúdo dos sacos suspeitos

Andressa Zanandrea, do Jornal da Tarde e Ricardo Valota, do estadao.com.br,

27 de fevereiro de 2008 | 14h23

Dois sacos de lixo plásticos abandonados à 0h15 dessa quarta-feira, 27, mobilizaram policiais militares do Grupo de Ações Táticas e Especiais (Gate) para a frente do prédio da Secretaria Estadual do Meio Ambiente, localizado na rua Professor Frederico Hermann Jr., em Pinheiros, zona oeste da capital paulista.   O barulho contínuo emitido por dois sacos plásticos azuis, colocados próximo a um telefone público em frente ao prédio causaram desconfiança em seguranças do órgão.   Eles viram quando, pouco depois da meia-noite, um carro não identificado parou em frente ao prédio, na Rua Professor Frederico Hermann Jr. Dois homens desceram, deixaram os embrulho na calçada e foram embora. Intrigados, os vigias foram até os pacotes e ouviram um barulho parecido com o de um transformador.   A Guarda Civil Metropolitana e a Polícia Militar foram acionadas e isolaram a área, entre as ruas Sílvia Celeste de Campos e Ernesto Nazaré. Homens do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) chegaram ao local por volta das 2h30 e, às 3h, a "bomba" foi detonada.   Pelos destroços - pilhas e pedaços de plástico -, os policiais acreditam que tratava-se de uma máquina de cortar cabelo. "A implosão segue o protocolo do Gate e foi feita por causa do barulho esquisito. Isso pode ter sido feito para afetar a secretaria e também acionar a polícia", explicou o capitão Moisés Marques Del Rei, da Força Tática do 16º Batalhão.  

Tudo o que sabemos sobre:
bombapinheirossecretaria

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.