Sabesp investiga esgoto clandestino na zona norte

A Sabesp informou que vai realizar uma inspeção na rede coletora de toda a bacia do Córrego Carajás para descobrir se foram feitas ligações clandestinas de esgoto no curso de 8,7 km do manancial. Segundo a companhia, na última vistoria, realizada em abril, havia 16 miligramas de oxigênio por litro, o que insere o curso de água na classificação "limpo".

, O Estado de S.Paulo

06 de julho de 2010 | 00h00

Em relação ao Córrego Armênio Soares, a empresa afirmou que vazamentos de esgoto ocorreram "por conta de problemas operacionais", e prometeu fazer uma varredura na rede coletora para executar a manutenção corretiva. Mas reafirmou que o Córrego Arboreto foi despoluído e que o Limoeiro foi apenas parcialmente recuperado. "Vale ressaltar que, mesmo tendo sido despoluídos, lançamentos clandestinos de esgoto podem surgir nos córregos recuperados. Tão logo esses problemas são identificados, a Sabesp e a Prefeitura atuam para a sua regularização."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.