Sabesp inaugura novo parque na Mooca com foco ambiental

Local em área que abriga reservatório de água no bairro da zona leste tem exposição que alerta para o consumo consciente

O Estado de S. Paulo

12 Setembro 2014 | 22h23

SÃO PAULO - A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) inaugura neste sábado, 13, um novo parque no bairro da Mooca, na zona leste da capital paulista, no mesmo local onde fica o reservatório de água que abastece a região.

Com 21,2 mil metros quadrados, área equivalente à praça Buenos Aires, em Higienópolis, no centro da cidade, o espaço abrigará uma exposição permanente a céu aberto voltada à conscientização ambiental, educação, lazer e esporte.

Segundo a Sabesp, o parque, que leva o nome do radialista esportivo Fiori Gigliotti, morto em junho de 2006, receberá o plantio de 200 árvores e quase 3 mil trepadeiras, e será uma nova opção de lazer aos cerca de 75 mil moradores da região. No local, terão painéis explicativos sobre o processo de abastecimento de água desde a captação nos mananciais, como o Sistema Cantareira, que atravessa a pior crise de estiagem de sua história. Nesta sexta-feira, 12, o maior manancial paulista operava com apenas 9,5% da capacidade.

Segundo a Sabesp, o projeto do parque da Mooca “é inovador na utilização do que existe de mais moderno e ambientalmente correto em sistemas construtivos. Promove a utilização de sistemas pré-fabricados, o conceito de obra seca, manutenção da arborização existente e a ampliação dela com espécies nativas”. O aparelho, que custou cerca de R$ 10 milhões, fica na esquina da Avenida Paes de Barros com a Rua Terenas, no bairro da zona leste.

No próximo mês, a Sabesp pretende entregar ainda o Parque do Butantã, também situado na área onde fica o reservatório de água que abastece 18 bairros da região oeste da capital. O local tem 10,1 mil metros quadrados e tem o mesmo modelo da unidade que será entregue neste sábado no bairro da Mooca.

Mais conteúdo sobre:
SabespparqueMooca

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.