Sabesp abre hoje cinema em Pinheiros

Além de filmes, endereço já velho conhecido dos cinéfilos paulistanos deve abrigar eventos e campanhas sobre consumo consciente de água

Edison Veiga, O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2010 | 00h00

O roteiro é manjado: espaço cinematográfico paulistano reabre sob novo nome comercial, trazendo para o foco determinada empresa patrocinadora. Desta vez, a novidade do enredo é que o nome não é um banco, um provedor de internet, uma empresa aérea ou uma companhia telefônica. A Sabesp - empresa de economia mista responsável pelo fornecimento de água, coleta e tratamento de esgotos de 366 municípios paulistas - terá, a partir de hoje, seu cinema.

Marcada para as 19 horas, a abertura prevê coletiva de imprensa e posterior exibição do filme Meninos de Kichute - ainda inédito no circuito comercial - de Luca Amberg. Apenas para convidados. Público em geral mesmo só a partir de sexta.

História. O endereço já é velho conhecido dos cinéfilos paulistanos. Ali, na Rua Fradique Coutinho, 361, em Pinheiros, funcionava o Cine Fiametta - inaugurado em 1959. Na década de 80, o local foi alugado pela Companhia Cinematográfica Franco-Brasileira e, em seguida, rebatizado como Sala Cinemateca. Com o boom da internet, de 2000 para cá tornou-se o cinema dos provedores (chamado primeiramente de Sala Uol, depois de iG Cine).

Atualmente era o Cinema da Vila. Fechado em maio para reforma, reabrirá hoje como Cine Sabesp - a companhia de saneamento básico desembolsará R$ 20 mil mensais, em contrato que vigora por três anos. "Como teremos nosso nome exposto tanto em filmes publicitários que precedem a exibição em cartaz quanto nas programações culturais divulgadas pela mídia, trata-se de ótima relação custo-benefício", avalia o presidente da Sabesp, Gesner Oliveira.

Ficará a cargo do Circuito Cinearte - que, entre outras iniciativas, toca os cinemas do Espaço Unibanco e realiza a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo - a definição da programação da nova casa, cuja sala tem capacidade para 271 pessoas.

Motivos. Mas por que a Sabesp vai se aventurar no setor? O marketing da empresa acredita que, com isso, vai vender mais água? Nada disso. "Foi uma combinação de fatores", explica o presidente Oliveira. "A Sabesp tem tradição em patrocinar produções cinematográficas, sobretudo paulistas."

Desde 2005, a Sabesp é a empresa é a maior participante do Programa de Fomento ao Cinema Paulista, da Secretaria de Estado da Cultura, investindo anualmente em um número que oscila entre dez e 15 produções. No total, a companhia de saneamento já destinou R$ 34 milhões à sétima arte - e patrocinou sucessos do cinema nacional, como Carandiru.

Consumo consciente. Oliveira também lembra a importância de utilizar o espaço para conscientização do consumo consciente da água - algo que vem sendo feito, desde o início do ano, na Estação Sabesp, mostra permanente da Estação Pinheiros da CPTM - e para eventos institucionais e promocionais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.