Euclides Mendes
Euclides Mendes

Ruas da Vila Itaim, na zona leste de SP, estão alagadas há duas semanas

Região sofre com enchentes há anos e aguarda a construção de um pôlder desde 2013, após celebração de convênio entre Prefeitura e governo do Estado

O Estado de S.Paulo

30 Janeiro 2017 | 10h54

Moradores da Vila Itaim, na zona leste da capital paulista, estão há duas semanas com ruas do bairro alagadas após os temporais que atingiram a cidade em janeiro. Nesta segunda-feira, 30, a mais afetada é a Rua Manoel Martins de Melo.

A região sofre com enchentes há anos e aguarda a construção de um pôlder pelo menos desde 2013, após celebração de convênio entre Prefeitura de São Paulo e governo do Estado.  As obras estão previstas para iniciar este mês e devem ser concluídas em 16 meses. Os moradores ainda terão de enfrentar chuvas neste e no próximo verão até receber o pôlder. 

Se a previsão do governo estadual se concretizar, a estrutura estará erguida cinco anos após o convênio assinado entre o prefeito Fernando Haddad (PT) e o governador Geraldo Alckmin (PSDB). 

Segundo o líder comunitário Euclides Mendes, até a semana passada a Prefeitura mantinha uma bomba sugando água em somente uma rua. "A Prefeitura pôs as bombas somente em uma rua. Então, os moradores de outras ruas começaram a reclamar. O certo era bombear em todas as ruas", disse. "No sábado, os funcionários da Prefeitura começaram a revezar. Ao longo do dia, usou a bomba em outras ruas. Foi quando a água começou a baixar."

Em nota, a Prefeitura informou que agente da Defesa Civil e da Prefeitura Regional de São Miguel Paulista monitoram a região, estão posicionados no local e "sempre que necessário" executam o atendimento "imediato" dos moradores. 

"O local  também recebe constantemente a limpeza manual e mecanizada dos bueiros. Uma bomba faz a retirada de 700 litros de água por minuto e funciona 24 horas por dia nos locais em que há alagamentos", disse a administração municipal. "No momento, a regional continua o trabalho de amortecer o impacto dessas enchentes."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.