Rua Frei Caneca ganha posto de turismo gay

Oito shoppings, 25 cafés e bares, 23 boates, 20 restaurantes e oito saunas. A São Paulo Turismo (SPTuris) listou 91 estabelecimentos comerciais paulistanos gay friendly, ou amigo dos gays, sem contar as indicações de parques e museus.

Cristiane Bomfim, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2010 | 00h00

A relação será divulgada no Centro de Informações Turísticas (CIT) Gay, que começa a funcionar hoje na Rua Frei Caneca.

A ideia, segundo o diretor de Turismo e Entretenimento da SPTuris, Luiz Sales, é divulgar as opções da cidade para que o público gay, que vem à capital com mais intensidade na Parada Gay, volte em outras ocasiões. "O CIT Gay terá informações específicas porque as diferenças têm de ser respeitadas", diz Sales.

O dirigente da SPTuris conta que na Parada a cidade costuma receber cerca de 400 mil turistas e movimenta entre R$ 180 milhões e R$ 190 milhões. Neste ano, o evento será em 6 de junho.

Atendentes treinados. O CTI vai funcionar no Casarão Brasil, associação GLS, e será administrado pela Associação Brasileira de Turismo para Gays, Lésbicas e Simpatizantes (Abrat-GLS).

Os atendentes são bilíngues (português e inglês) e foram treinados a orientar o caminho mais seguro, explicar como funcionam as casas noturnas ou um restaurante. "Foram treinados pela SPTuris, visitaram alguns desses locais e conhecem as preferências e exigências desse público", diz Almir Vieira Nascimento, da Abrat-GLS.

O presidente do Grupo Gay da Bahia, Marcelo Cerqueira, de 33 anos, apoia a iniciativa da SPTuris e Abrat-GLS. "Ótima ideia porque mostra o reconhecimento de São Paulo a esse público que consome e gasta. A cidade é a capital gay da América Latina."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.