Royalties da chuva

Ave Maria!

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

06 de janeiro de 2012 | 03h04

De um turista brasileiro, observando a movimentação diante do hospital onde Cristina Kirchner passou por cirurgia na quarta-feira: "Os argentinos são cafonas até na hora de rezar".

Efeito colateral

Está sendo tramada nas redes sociais uma espécie de "Marcha pelo desbloqueio dos bens de Gilberto Kassab". Coisa de gente que atribui à decisão judicial as últimas declarações sem pé nem cabeça do prefeito "nota 10" à imprensa.

De novo?

Entra ano, sai ano, e nada muda nas bancas de jornal: nova ameaça de calote da Grécia, francamente, é notícia enguiçada de 2011!

Será o Benedito?

Quem era o sujeito flagrado madrugada dessas deixando o quarto de hotel de Mike Tyson, enquanto o ex-boxeador "dormia feito criança"? Só se fala disso em Las Vegas. O suposto ladrão não roubou nada!

Quarto lugar

Com 35 milhões de usuários da maior rede social do mundo, o Brasil caminha a passos largos para ser "o país do Facebook"! Não à toa, o futebol brasileiro caiu para o sexto lugar no ranking da Fifa.

Mal comparando

Um grupo de punks anarquistas e antifascistas invadiu um prédio abandonado da USP. Isso quer dizer o seguinte: a Reitoria ainda vai sentir saudades dos maconheiros no câmpus.

Choveu muito mais do que o previsto na horta de Pernambuco no ano passado e, por mais que o ministro Fernando Bezerra credite o fenômeno ao mau tempo filho de uma égua em seu Estado, o escândalo do rachuncho dos recursos antienchentes do Ministério da Integração Nacional não tem volta!

Já tem, inclusive, governador por aí fazendo as contas de uma possível redistribuição federativa do que chamam nos palácios de "royalties da chuva".

O Rio de Janeiro, a exemplo do que prega em relação ao petróleo, defende que cada Estado receba proporcionalmente à precipitação pluviométrica que produzir em seu território ao longo do ano.

Mais castigado nos últimos meses pela estiagem, o Rio Grande do Sul faz lobby para que a mufunfa humanitária seja repartida irmãmente entre todos os Estados brasileiros.

O noticiário dos últimos dias sobre o auxílio do governo federal na prevenção de desastres naturais - em especial durante as inundações de verão - chama atenção para o xis da questão: tem um bom dinheirinho público nisso.

Eis a maior de todas as tragédias brasileiras!

Jet lag

Na volta das férias na Bahia, Ronaldinho Gaúcho está com dificuldades para se readaptar ao fuso horário do Rio. Só consegue treinar depois do meio-dia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.