Rota mata 4º suspeito nas últimas 24 horas em suposto confronto

Tiroteio teria ocorrido após os bandidos se refugiarem no estacionamento de um teatro

Pedro da Rocha e Ricardo Valota, do estadão.com.br,

30 Novembro 2011 | 01h53

SÃO PAULO - Dois suspeitos de serem assaltantes morreram, por volta das 22h30 de terça-feira, 29, durante uma suposta troca de tiros com policiais militares das Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (Rota), na Rua Barra Funda, em Santa Cecília, região centro-oeste da capital paulista. Desde segunda-feira, 28, duas pessoas já haviam sido mortas em suposto confronto com a Rota. Ao todo, 64 morreram, neste anos, em ocorrências registradas como resistência seguida de morte.

 

Quatro pessoas chegaram de carro, segundo a PM, e duas delas invadiram, armadas, um dos apartamentos no primeiro pavimento do prédio de dois andares no número 97 da Rua Barra Funda. Os outros dois ficaram no veículo, dando cobertura. A dupla de criminosos rendeu uma advogada e seu marido, dois filhos dela, um deles de 16 anos, e uma empregada da casa. Eles recolheram R$ 300, celulares e joias da residência.

 

Neste intervalo, uma testemunha ligou para a PM. O analista comercial Marcello Zaveri, de 23 anos, morador do prédio vizinho, contou que assistia televisão, quando ouviu um tiro. "Olhei pela janela e vi um policial com a arma em punho, se protegendo e gritando para alguém. Minutos depois, outras viaturas chegaram e tomaram a rua", disse Zaveri. Os dois criminosos que estavam no veículo conseguiram fugir.

 

De acordo com a PM, a dupla pulou o muro da parte de trás do prédio assaltado e entrou na garagem do edifício de Zaveri, momento em que chegaram as viaturas da Rota. "Os moradores começaram a gritar para os policiais que os assaltantes estavam no fundo do prédio", contou o analista comercial. Eles, então, saltaram novamente o muro que faz divisa com o estacionamento do Teatro São Pedro. Ali, segundo a PM, houve o primeiro confronto, em que um dos suspeitos foi baleado.

 

O segundo assaltante pulou novamente o muro do teatro, na Rua Albuquerque Lins, onde teria ocorrido outro tiroteio, terminando, novamente, apenas com o suspeito atingido. Socorridos ao Hospital Barra Funda e à Santa Casa, ambos morreram. Até as 3 horas de quarta-feira, 30, os policias da Rota não apresentaram à imprensa ou souberam informar quais armas teriam sido usadas pelos assaltantes.

 

Após o tiroteio, vários homens da Rota passaram cerca de uma hora no apartamento assaltado, junto com as vítimas de roubo. Quando desceram, assustadas, abordadas pela reportagem do estadão.com.br, elas não quiseram relatar o que viram.

 

As câmeras de segurança do estacionamento do prédio vizinho ao roubado gravaram a fuga dos suspeitos. O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investigará o caso.

 

 

Texto atualizado às 6 horas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.