Rota é acusada de executar suposto ladrão

Bandidos roubaram restaurante na Aclimação. Policiais dizem que jovem estava armado e tentou fugir

Elvis Pereira, O Estado de S.Paulo

29 Janeiro 2011 | 00h00

Quatro ladrões fizeram um arrastão anteontem no restaurante BiCol, na Aclimação, zona sul de São Paulo. Recolheram relógios, telefones, dinheiro, joias e documentos de dez clientes, entre eles empresários coreanos e um delegado da Polícia Federal. O bando fugiu, mas o celular de uma das vítimas permitiu o rastreamento de um deles. Um suspeito, Ruan Rodrigo Silva Araújo, de 19 anos, foi morto. A família dele acusa a PM de excesso.

Eram 21h30. "Eles entraram agressivos, gritando", contou Odair Negretti, que aguardava a chegada de seu prato. Três ladrões invadiram o salão, enquanto um ficou do lado de fora.

A ação dos bandidos durou cinco minutos. Policiais militares das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) chegaram ao restaurante pouco após a saída do grupo. Pelo celular de uma das vítimas, os PMs localizaram um suspeito. Mesmo desligado, o aparelho fornece informações de onde está.

Os policiais seguiram para a Rua dos Estudantes, na Sé, a cerca de dois quilômetros do restaurante. No relato à Polícia Civil, eles disseram ter avistado Araújo em um Honda Civic preto. O jovem teria pulado do carro e atirado. Os PMs dispararam e acertaram o rapaz três vezes. Ele foi socorrido, mas não resistiu.

Moradores relataram à reportagem que Araújo de fato correu, porém não tinha nenhuma arma. O pai dele, o vidraceiro João Rodrigues de Araújo, de 40 anos, ouviu os disparos do apartamento da família, de onde é possível ver a esquina onde o jovem caiu baleado. "Ele estava conversando com um colega e a Rota vinha devagar. Ele correu e começaram a dar tiro nele", disse. "O menino já estava caído. Algema, leva preso. Para que dar três tiros?"

Em nota, a Polícia Militar informou que foi instaurado um inquérito na Corregedoria para apurar o caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.