Daniel Guimarães/Governo de São Paulo/Divulgação
Daniel Guimarães/Governo de São Paulo/Divulgação

Rompimento de reservatório mata duas mulheres no interior

Estrutura de cimento e ferro se partiu em pedaços; outras duas pessoas sofreram ferimentos - uma delas está internada

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

12 Novembro 2015 | 09h25

Atualizada às 12h35

SOROCABA - O rompimento de um reservatório com 1,5 milhão de litros de água inundou casas e causou a morte de duas mulheres em Araraquara, interior de São Paulo, na noite desta quarta-feira, 11. O acidente aconteceu na Vila Xavier, na frente de uma escola do Serviço Social da Indústria (Sesi).

A estrutura de cimento e ferro do reservatório se partiu em pedaços. O volume de água causou forte enxurrada que arrastou pessoas, carros e invadiu pelo menos dez residências.

Em um dos imóveis atingidos, uma mulher de 81 anos passou mal e, socorrida por moradores, foi levada por uma ambulância do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) para a Santa Casa, mas não resistiu. A filha dela, de 58 anos, foi levada para uma unidade de pronto-atendimento e morreu após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC). Elas sofreram reações após inalar o gás produzido pelo clorador do sistema de tratamento.

De acordo com testemunhas, no momento em que o reservatório explodiu com a pressão da água, o clorador foi lançado em direção à casa onde a idosa morava com os três filhos. A água também atingiu o imóvel, mas as duas mulheres reclamaram de estarem sufocadas pelo gás, segundo familiares. Os corpos serão sepultados nesta tarde no Cemitério São Bento, em Araraquara. Outras duas pessoas tiveram ferimentos – uma delas continua internada na unidade de terapia intensiva da Santa Casa local.

Outras duas pessoas sofreram ferimentos - uma delas permanecia internada na manhã desta quinta-feira, 12. O equipamento de cloração ficou avariado e liberou o cloro, deixando várias pessoas com sintomas de intoxicação.

Os bairros da região estavam sem água. De acordo com a Defesa Civil, o acidente aconteceu quando caía forte chuva na cidade. Já o Departamento Autônomo de Água e Esgoto (DAAE) de Araraquara informou que a provável causa da ruptura seria a corrosão da armadura metálica do reservatório.

Segundo a autarquia municipal, a caixa de água já operava com restrições e havia projeto para a construção de um reservatório metálico no mesmo local. O DAAE lamentou o acidente e informou que equipes trabalham na limpeza e recomposição da área atingida. Um inquérito da Polícia Civil vai investigar o acidente.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo Sesi Defesa Civil Polícia Civil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.