Rompido contrato com empresa de segurança de parques

GSV era responsável pela vigilância do Ibirapuera e de outras 35 áreas verdes da cidade; GCM assumiu função provisoriamente

FELIPE FRAZÃO, O Estado de S.Paulo

19 Novembro 2011 | 03h02

A Prefeitura rompeu de vez ontem os três contratos firmados desde 2008 com a Grupo de Segurança e Vigilância Ltda. (GSV). Como o Estado revelou, vigias da empresa que cuidavam da segurança de 36 parques municipais deixaram postos de trabalho por falta de pagamento.

A GSV passa por processo de recuperação judicial para evitar falência e agora está impedida de prestar serviços para a Prefeitura e participar de licitações por um ano. A decisão foi publicada ontem no Diário Oficial da Cidade. A reportagem não conseguiu contato com a empresa.

No fim de outubro, a Guarda Civil Metropolitana assumiu em caráter emergencial a segurança dos parques. Mas em alguns deles há apenas rondas com viaturas e faltam guardas fixos. Outros receberam bases comunitárias móveis. Em nota, a Secretaria do Verde e Meio Ambiente disse que também pediu reforço à Polícia Militar.

A pasta disse já ter selecionado duas empresas para vigiar 18 parques e a contratação está em andamento. Dos demais, a licitação para vigilância do Parque Anhanguera será no dia 21. A dos outros 17 parques depende de liberação do Tribunal de Contas do Município.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.