Rodoviária na V. Sônia exigirá 74 remoções

A construção de uma rodoviária na Vila Sônia, na zona oeste, vai provocar a desapropriação de 74 imóveis na região da Avenida Eliseu de Almeida. O decreto que declara o espaço de 17 mil m² de utilidade pública foi publicado ontem no Diário Oficial. No entanto, não há prazo para o início das obras nem para a entrega.

O Estado de S.Paulo

03 Outubro 2012 | 03h05

O projeto prevê que o terminal seja erguido sobre o pátio de manobras de trens da ViaQuatro (concessionária que administra a Linha 4-Amarela do Metrô).

Além das desapropriações, reformas serão feitas em vias da região para que elas ganhem faixas exclusivas para ônibus de viagem - caso das Avenidas Ministro Laudo Ferreira de Camargo, Pirajuçara, Monsenhor Manfredo Leite e da própria Eliseu de Almeida. Uma alça de acesso também será construída para facilitar a chegada à Avenida Professor Francisco Morato.

Com 250 partidas, a previsão é de que 28 mil passageiros circulem pelo novo terminal diariamente - cerca de um terço dos usuários da Rodoviária do Tietê, na zona norte. / CAIO DO VALLE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.