Rodoanel: iluminação do Trecho Sul ainda é feita por geradores

Seis meses após a inauguração, os 61,4 quilômetros do Trecho Sul do Rodoanel continuam a ser iluminados por geradores movidos a óleo diesel. No início de maio, a Secretaria de Estado dos Transportes havia informado que a energia elétrica seria instalada em toda a extensão da estrada em até 60 dias. Já se passaram 90 dias do prazo estipulado e o serviço não foi concluído.

, O Estado de S.Paulo

08 de outubro de 2010 | 00h00

O trecho foi aberto ao tráfego em 1º de abril com algumas pendências. Até hoje, por exemplo, também não foram colocados guardrails em toda a extensão da via. Dois acidentes com veículos que saíram das pistas mataram dois motoristas nesse período.

A Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa), empresa do governo do Estado que administra a via expressa, informou que são seis geradores a diesel em atividade e o sistema não prejudica a segurança na rodovia.

A empresa afirma que está esperando a Eletropaulo concluir as ligações elétricas. Enquanto isso, são usados geradores. Atualmente, são iluminados pelos geradores os acessos para as Rodovias Anchieta, Imigrantes e Régis Bittencourt, a interligação com a Avenida Papa João XXIII, em Mauá, e as pontes sobre as Represas do Guarapiranga e Billings. A Dersa orienta os motoristas a redobrar a atenção nos trechos próximos às represas, onde há neblina com frequência.

Pane. Nesta semana, um dos geradores, segundo a Dersa, foi alvo de vandalismo e entrou em pane, prejudicando a iluminação da maior ponte do Trecho Sul, sobre a Represa Billings, em São Bernardo do Campo.

Por vários dias, apenas uma pequena parte dos 1,775 metros de extensão da ponte ficaram com as luzes acesas. O problema foi sanado na noite de terça-feira, segundo a empresa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.