Rodízio em SP será suspenso a partir da véspera de Natal

Sistema volta ao normal na capital paulista a partir do dia 12 de janeiro; restrição de caminhões continuam

Elvis Pereira, estadao.com.br

18 Dezembro 2008 | 22h17

SÃO PAULO - O rodízio de veículos e caminhões em São Paulo será suspenso do próximo dia 24, véspera de Natal, até o dia 9 de janeiro. As restrições voltam a ser aplicadas em 12 de janeiro, uma segunda-feira. Apesar do rodízio de veículos ser suspenso, as restrições continuam para caminhões, segundo a Secretaria Municipal de Transportes.  Veja também: Dicas no Blog do Verão09   Fotos de banhistas aproveitando o verão    Saiba como fugir do estresse no trânsito na época do NatalComo o trânsito parou SP e números da frota Dossiê Estado: os números do trânsito em SP  Acompanhe a situação do trânsito rua-a-rua    Seguro obrigatório de carros e motos sobe Nos últimos dois anos, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) estabeleceu prazos bem diferentes para liberar os motoristas do rodízio. Em 2006, a medida foi adotada do dia 26 de dezembro a 29 de janeiro. Em 2007, o período foi reduzido em 35%: durou do dia 24 de dezembro a 14 de janeiro. Na época, a CET justificou a antecipação do retorno da rodízio com os dados de congestionamento no último mês do ano. A média de lentidão da terceira semana de janeiro dos três anos anteriores havia superado a dos outros meses.  Na quinta-feira, 18, às 19 horas, a companhia registrou um congestionamento de 177 km na cidade - o que significa que 21% das vias monitoradas pela CET apresentavam lentidão. Nessa época do ano, o trânsito muda de horário: migra para o período entre picos, das 10h às 17h, e para a noite, por conta das compras e das atrações de Natal espalhadas pela cidade.  Para amenizar os congestionamentos na região do Ibirapuera, a CET vai reforçar o monitoramento a partir das 19 horas de amanhã e de domingo. Trechos da Avenida Pedro Álvares Cabral, nos sentidos Vila Mariana e Pinheiros podem ser interditados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.