Rodízio de veículos volta a vigorar hoje em São Paulo

Restrição estava suspensa desde 24 de dezembro para carros; quase metade da frota deixou SP nos feriados

, O Estado de S.Paulo

10 Janeiro 2011 | 00h00

O rodízio municipal de veículos volta a vigorar hoje na capital. Não podem circular veículos de placas 1 e 2. A restrição estava suspensa pela Secretaria Municipal de Transportes desde o dia 24 de dezembro apenas para carros. Durante o período, continuou valendo o rodízio para veículos pesados e a Zona de Máxima Restrição à Circulação de Caminhões, no centro expandido.

Quase 3 milhões de carros deixaram a capital nas festas de fim de ano, segundo estimativas da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). É o equivalente a 43% da frota total de São Paulo. Dos que viajaram, segundo o órgão, 1,5 milhão deixaram a cidade no feriado do Natal - entre 23 e 27 de dezembro - e mais 1,4 milhão no Ano Novo - entre 30 de dezembro e 3 de janeiro.

Os veículos, no entanto, já começaram a retornar à cidade. Somente no sistema Anchieta-Imigrantes, 903 mil veículos subiram a serra do dia 1.º até as 14 horas de ontem.

Ontem, a volta do litoral provocou mais de 10 km de lentidão na Rodovia dos Imigrantes durante a tarde, segundo a Ecovias. Os piores trechos foram entre os km 47 e km 50, e na região dos semáforos, entre o km 63 e km 65. No litoral norte, o tráfego estava intenso, mas sem pontos de paradas nas Rodovias Mogi-Bertioga, entre os km 98 e 80, em dois trechos da Rio-Santos: perto da Riviera de São Lourenço, onde o acostamento estava liberado, e outro entre os km 305 e 292. A situação era a mesma nas Rodovias Oswaldo Cruz e dos Tamoios.

Régis. Um ônibus da Viação Montana que seguia para Florianópolis com 35 pessoas tombou durante a madrugada no km 512 da Rodovia Régis Bittencourt, em Cajati (SP), deixando 17 feridos. Às 13h30, um caminhão transportando carne tombou na mesma rodovia, no km 360. A via foi totalmente interditada até as 14h50, causando um congestionamento de 2 km na região. Ninguém ficou ferido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.