Jim Ruymen/Reuters
Jim Ruymen/Reuters

Rock in Rio confirma show de Stevie Wonder em dia extra

Artista vem no ano em que completa 5 décadas de carreira; Jamiroquai e Janelle Monáe estão no dia dedicado ao soul

Julio Maria, O Estado de S.Paulo

16 Julho 2011 | 00h00

Stevie Wonder é o grande nome do dia extra do Rock in Rio 2011, em 29 de setembro. Ele será a atração principal de uma noite não anunciada assim oficialmente, mas que se configura como a data da black music do festival.

As outras atrações reveladas ontem pela organização serão a banda de jazz funk Jamiroquai, a revelação do novo soul Janelle Monáe e um projeto, este estranho ao universo soul, mas de grande apelo pop, chamado Concerto Sinfônico Legião Urbana, com os legiões Marcelo Bonfá e Dado Villa-Lobos recebendo convidados para tocar músicas da banda. É prometida mais uma surpresa para o Palco Mundo, a ser anunciada em breve. Pela primeira vez, os ingressos serão vendidos apenas pela internet.

A pegada black segue no palco Sunset, um espaço um pouco menor do que o Palco Mundo, que será usado para encontros inusitados entre artistas em todos os dias do evento. Joss Stone também foi confirmada ontem para este palco, mas como única atração a fazer um show solo.

Roberto Medina, mentor e responsável pelo Rock in Rio, vai tentar fazer um encontro entre Joss Stone e Stevie Wonder. "Vi em um vídeo, é algo de louco, vou tentar forçar isso."

Peso pesadíssimo no movimento hip-hop americano, o nome mais relevante que aparece no mesmo espaço é o produtor e músico Afrika Bambaataa, um dos fundadores do hip-hop nos anos 80. Sua apresentação será com a cantora paulistana Paula Lima.

Outras atrações do dia no Sunset serão o sambista Diogo Nogueira, o guitarrista Davi Moraes, filho de Moraes Moreira, e o coletivo Baile do Simonal, com Max de Castro e Wilson Simoninha. Quem abre a noite são os novos nomes da música paulistana Curumim e Marcelo Jeneci.

Eletrônicos. Os nomes do espaço para música eletrônica também foram anunciados na noite de ontem: a dupla de house nova-iorquina "Little" Louie Vega & Kenny "Dope" Gonzalez, do Masters At Work, vem celebrar seus 20 anos de pick-ups. Os DJs Mary Olivetti, Mário Fischetti e Zegon completam a noite.

Onda soul. A expectativa para um show de Stevie Wonder era grande, desde que seu nome começou a ser comentado pela imprensa e em sites especializados como provável presença no dia extra do Rock in Rio.

Ele completa neste ano cinco décadas de uma carreira de feitos impressionantes e referência aos artistas da chamada "nova onda soul". Com mais de 100 milhões de discos vendidos, tem hoje a maior coleção de Grammys de todos os artistas masculinos: 25. Mandou músicas suas por 49 vezes ao topo da lista da revista Billboard e tem admiração de artistas do jazz, soul, blues, rock e também da música brasileira.

Aos 61 anos, Stevie é também um dos artistas de forte presença como ativista social e político. Cego desde o nascimento, assinou contrato com a gravadora Motown aos 11 anos de idade, já com seu peculiar suingue diante dos teclados.

Esteve no Brasil pela primeira vez em 1970, quando se apresentou em um programa da TV Record. As imagens desta apresentação, com Stevie no auge cantando entre outras Pretty World, uma versão em inglês de Sergio Mendes para o clássico de Antonio Adolfo e Tibério Gaspar, Sá Marina, estão disponíveis no YouTube.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.