Rivalidade entre polícias vem à tona durante operação

Apesar de comemorada pelas autoridades, a integração entre polícias estaduais e forças federais suscitou rivalidades durante a operação na Rocinha. Representantes das diversas corporações manifestaram desconfiança em relação às outras instituições. Os termos "garimpagem" e "espólio" foram usados nas críticas.

RIO, O Estado de S.Paulo

14 Novembro 2011 | 03h02

Policiais referiam-se às supostas tentativas de colegas de levar bens e dinheiro que pudessem ser encontrados na casa de traficantes ou moradores da favela - desvios cometidos na tomada do Complexo do Alemão, na zona norte do Rio, no ano passado.

Agentes da Polícia Federal não disfarçaram o desconforto de trabalhar com policiais do Bope por suspeitarem de ligação de integrantes da tropa de elite com a quadrilha liderada por Antônio Bonfim Lopes, o Nem, preso na quarta-feira.

Policiais militares ironizaram o fato de poucos homens da Polícia Civil terem participado da operação e fizeram referência à tentativa de interferência de um delegado e dois inspetores de Maricá, na Região dos Lagos, na prisão de Nem pela PF - caso apurado pela Corregedoria. / A.J. e F.W.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.