Rios voltam a subir no Nordeste e já são 54 mortos

Em Pernambuco e Alagoas, 27 municípios estão em calamidade pública. Uma criança morreu em um soterramento no Recife

Angela Lacerda / RECIFE, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2010 | 00h00

Nível do Una subiu 2 metros e transbordou, alagando Palmares, em Pernambuco

 

Voltou a chover ontem no Nordeste e rios inundaram cidades. O número de mortes provocadas pelas enchentes em Pernambuco subiu de 18 para 20. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou decreto permitindo a antecipação do pagamento de benefícios previdenciários para cerca de 100 mil pessoas que moram nos 27 municípios atingidos em Pernambuco e Alagoas.

Uma criança morreu soterrada por um deslizamento de barreira no Alto de Santa Terezinha, no Recife, e o corpo de Leonilson Ferreira da Silva, de 34 anos, foi encontrado em Gameleira, na Zona da Mata, região onde as populações voltaram a se assombrar com as chuvas caídas nos dois últimos dias.

O nível do Rio Una, que corta Palmares, subiu 2 metros e alagou parte da cidade, interrompendo a limpeza que vinha sendo feita pelo poder público - com caminhões retirando entulhos - e pela comunidade, ocupada em tentar recuperar casas e lojas que não foram completamente destruídas pelas águas.

Em Água Preta, de acordo com o major Hugo César, coordenador da Defesa Civil Estadual no município, uma nova enchente atingiu muitos bairros na madrugada de ontem, embora em proporção menor. Segundo ele, pessoas que já começavam a voltar dos abrigos para reocupar seus imóveis tiveram de retornar.

O número de municípios pernambucanos em estado de calamidade aumentou de 9 para 12, com a inclusão de Primavera, Catende e Maraial, reduzindo o número de municípios em estado de emergência para 27. De acordo com a avaliação dos danos provocados pelas águas no Estado, o número de casas danificadas ou destruídas subiu de 11.748 para 14.136. Cerca de 4,4 mil quilômetros de estradas ficaram comprometidos.

Alagoas

 

Os Rios Mundaú, Jacuípe, Camaragibe e Paraíba também transbordaram. Moradores de vários municípios precisaram ser retirados de casas que já haviam sido inundadas na semana retrasada. A situação mais crítica foi registrada em Murici, onde o Rio Mundaú cobriu muitas casas. O Exército enviou um hospital de campanha para ser montado na cidade, a 55 quilômetros de Maceió.

A Defesa Civil está em alerta e 15 cidades estão em calamidade pública. De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde, Alagoas deve receber do governo federal 200 mil doses de vacinas e mil unidades de soro antitetânico.

O Estado já registrou 34 mortes pelas chuvas, mas os bombeiros aguardam para hoje confirmação de mais duas vítimas. Um corpo foi encontrado ontem em Santa Luzia do Norte, na Grande Maceió, e o outro, na sexta-feira, em União dos Palmares.

FGTS. Segundo o ministro da Previdência, Carlos Eduardo Gabas, as pessoas que recebem benefícios continuados podem pedir a antecipação do pagamento de julho e de outro mês. O valor extra será descontado em 24 parcelas. Os trabalhadores serão chamados pelos bancos. A antecipação custará R$ 50 milhões. / COLABOROU RICARDO RODRIGUES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.