Rio Piracicaba sobe com chuvas e volta a ser atração

O nível do rio, que chegou a menos de 50 centímetros, estava com 2,50 metros

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

21 Dezembro 2014 | 18h46

SOROCABA - O Rio Piracicaba, um dos mais conhecidos do interior e que amargava a maior seca da história, voltou a subir e atrair turistas. Milhares de pessoas foram à beira do rio neste final de semana para ver a água volumosa despencando outra vez no salto de Piracicaba, principal atração turística da cidade. No sábado, 20, depois das chuvas intensas que atingiram a região, a vazão do rio atingiu 214 metros cúbicos por segundo, a maior do ano. Na tarde deste domingo, 21, após um período sem chuvas, a vazão havia refluído para 80,88 m/s, mas ainda estava 10 vezes maior que a média registrada em novembro.

O nível do rio, que chegou a menos de 50 centímetros, estava com 2,50 metros. A água voltou a cobrir as pedras que antes estavam expostas e avançou até a margem esquerda, encostando no paredão da Rua do Porto. A correnteza arrancou o mato que havia coberto o leito e também arrastava o lixo que se acumulara entre as pedras.

A inconstância das chuvas que marca esse início de verão tem causado um vaivém na vazão do Piracicaba. Na sexta-feira, 19, antes de chover forte na região, o rio estava com apenas 12,6 metros cúbicos por segundo. No último dia 11, após outra chuva torrencial, a vazão subiu de 11,6 para 38,5 m3/s em menos de uma hora.

De acordo com o Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) de Piracicaba, com a previsão de pancadas de chuva neste domingo e nos próximos dias, o nível do Rio Piracicaba deve se manter elevado. Apesar disso, o rio não vai atingir este ano a vazão média histórica para o mês de dezembro, de 129 metros cúbicos por segundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.