Rio inunda ruas e deixa morador ilhado no litoral

Moradores estão ilhados sem poder sair de casa e ao menos 33 famílias, desabrigadas em Caraguatatuba, no litoral norte de São Paulo, por causa das chuvas que atingiram a região domingo. As casas foram invadidas pelas águas do Rio Juqueriquerê, que corta diversos bairros. Centenas de ruas estão alagadas e o comércio já contabiliza prejuízos.

REGINALDO PUPO, ESPECIAL PARA O ESTADO, CARAGUATATUBA, O Estado de S.Paulo

21 Março 2013 | 02h09

Em dois dias o município atendeu cerca de 150 pessoas, que vêm recebendo roupas, cobertores, colchões, materiais de higiene, limpeza e alimentos. As 33 famílias estão abrigadas em um ginásio de esportes no bairro Morro do Algodão. O restante encontrou abrigo em casa de familiares e amigos.

Segundo a prefeitura, a Secretaria Municipal de Educação vem oferecendo refeições às famílias desabrigadas. De acordo com a secretária de Assistência Social, Rosa de Fátima Rangel França, a prefeitura recebeu diversas doações. "São colchões, cobertores e roupas. Ainda precisamos de bastante coisa, como leite em pó e fralda descartável."

A Defesa Civil de Caraguatatuba informou que em três dias os pluviômetros atingiram o índice de 120 mm. Segundo o órgão, só no domingo choveu 113 mm. O grande volume de água coincidiu com uma ressaca, que dificultou ainda mais a vazão da água do Rio Juqueriquerê.

Os bairros atingidos são Pontal Santa Marina, Morro do Algodão, Porto Novo, Barranco Alto, Travessão e Balneário Golfinho, todos localizados na planície do Rio Juqueriquerê.

São Sebastião. O município vizinho de São Sebastião, em estado de calamidade pública desde domingo, está em alerta com risco de desabamento do Morro do Esquimó, em Juqueí. De acordo com o chefe da Defesa Civil, Carlos Eduardo dos Santos, a família que teve sua casa atingida por um deslizamento na terça-feira, foi removida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.