Rio Grande do Sul começou a monitorar detentos em agosto

A Superintendência dos Serviços Penitenciários do Rio Grande do Sul (Susepe) começou há um mês o uso de tornozeleiras de monitoramento em 200 presos do regime aberto, das Varas de Execuções Criminais (VECs) de Porto Alegre e Novo Hamburgo, que abrangem presídios da região metropolitana e dos Vales do Sinos, Caí e Paranhana.

, O Estado de S.Paulo

15 Setembro 2010 | 00h00

A cada minuto, a tornozeleira adotada no Rio Grande do Sul emite um sinal semelhante aos usados em celulares e aparelhos de radiofrequência, identificando a posição do portador e facilitando a detecção de eventuais fugas. A intenção é ter 5 mil condenados de baixa periculosidade usando tornozeleira até 2014.

Sanção. Os testes do sistema na região metropolitana de Porto Alegre começaram em junho, após sanção da Lei 12.258 pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A lei autoriza o monitoramento eletrônico, o que permitiu aos Estados fechar licitações nesse sentido. Mas a regulamentação definitiva do uso pelo governo federal só deverá ser enviada ao Congresso Nacional no próximo ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.