Rio, Goiânia e Natal também tiveram conflito

Manifestantes também fecharam vias, colocaram fogo em barricadas e enfrentaram a polícia durante protestos em outras três capitais. No Rio, dois estudantes e dois ambulantes foram detidos, após confronto com a Tropa de Choque. O ato contra o aumento da passagem mobilizou cerca de 150 pessoas na cidade, segundo a PM. O grupo se reuniu às 17 horas na frente da Igreja da Candelária e seguiu caminhando pela Avenida Presidente Vargas até a Central do Brasil.

Anna Ruth Dantas, Fábio Grellet e Marília Assunção, O Estado de S.Paulo

07 Junho 2013 | 02h04

Manifestantes tentaram interditar a avenida, sentando sobre o asfalto, e 30 policiais da Tropa de Choque foram acionados para impedir. Houve confronto e a polícia usou gás lacrimogêneo e balas de borracha. Pelo menos um homem foi atingido na perna por uma bala. Manifestantes reagiram com pedras. Os quatro detidos foram acusados de tentar ferir os PMs.

Organizado pela internet, o ato foi contra o reajuste da passagem, que passou de R$ 2,75 para R$ 2,95.

Estrada fechada. Em Natal, um grupo que se intitula #Revolta do Busão, contrário ao aumento da passagem, que passou de R$ 2,20 para R$ 2,30, interditou o trânsito na principal via de saída da capital potiguar. Na BR 101, próximo a um dos principais shoppings da cidade, os manifestantes atearam fogo em pneus. O clima foi tenso, mas não houve confronto direto com os policiais.

Em Goiânia, a PM precisou cercar alguns prédios públicos para evitar atos de vandalismo mais graves. Ainda assim, uma viatura da PM acabou com o para-brisa estilhaçado por um artefato lançado pelos manifestantes. A tarifa subiu de R$ 2,70 para R$ 3,00 no dia 22 de maio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.