Rio é líder nacional de mortes em casos de resistência

Estado líder do ranking de registro de autos de resistência no Brasil, o Rio não tem unidade específica para investigar as ações policiais que resultam em mortes. Os registros ocorrem nas delegacias. Quando há indícios fortes de fraudes, o caso pode passar para a Corregedoria.

Alfredo Junqueira, O Estado de S.Paulo

07 de abril de 2011 | 00h00

No ano passado, o Rio registrou seu menor número de mortes em supostos conflitos policiais na atual gestão, com 855 casos. Apesar de o governador Sérgio Cabral (PMDB) ter comemorado a redução, o total de mortes em alegados confrontos policiais em seu primeiro mandato (2007/ 2010) chegou a 4.370. Neste ano, a Segurança incluiu a redução nos autos de resistência no Sistema de Resultados, que remunera os policiais por metas alcançadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.