Rio Claro terá memorial de Niemeyer em homenagem a Ulysses Guimarães

Prefeitura da cidade onde o político nasceu reservou uma quadra na região central para tornar realidade o projeto criado em 1998

Márcia Vieira / RIO, O Estado de S.Paulo

11 Setembro 2010 | 00h00

O projeto é acalentado desde 1998, tempo em que repousa na prancheta do arquiteto Oscar Niemeyer. Agora, às vésperas do aniversário de 18 anos da morte de Ulysses Guimarães, a construção do memorial em sua homenagem em sua terra natal, Rio Claro, no interior paulista, ganha fôlego. A prefeitura da cidade já reservou um terreno de uma quadra na região central para a construção do Memorial Ulysses Guimarães.

Doutor Ulysses, como era carinhosamente chamado o deputado, presidiu a Assembleia Nacional Constituinte, em 1988, e foi um dos principais políticos a combater a ditadura militar.

Até o fim do ano, todo o detalhamento técnico do projeto de Niemeyer estará pronto para que a prefeitura abra a licitação. A construção deve custar em torno de R$ 15 milhões.

"Fiz este projeto com muito gosto", disse Niemeyer ontem, no seu escritório na frente da Praia de Copacabana, na zona sul do Rio, logo após receber a Medalha das Artes e das Letras, entregue pessoalmente pela ministra da Cultura da Espanha, Ángeles González-Sinde.

"Ulysses era brincalhão, inteligente. Nos encontramos algumas vezes e sempre foi muito agradável", lembrou ontem o arquiteto de 102 anos.

A inspiração para criar a homenagem veio da própria circunstância de sua morte. Ulysses morreu em 12 de outubro de 1992, aos 76 anos, quando o helicóptero em que estava com a mulher, Mora, o senador Severo Gomes e a mulher caiu no mar de Angra dos Reis, no litoral do Rio. Apenas o corpo de Ulysses nunca foi encontrado.

Os três prédios - o memorial, o auditório e o prédio das artes - são interligados pela Praça das Águas. "As pessoas vão poder caminhar sobre as águas por passarelas", explicou Jair Valera, coordenador de execução do projeto. Varela está finalizando os detalhes da construção.

"A princípio, o memorial ficaria num terreno menor, mas agora a prefeitura reservou uma quadra inteira. Serão três edifícios de grande suntuosidade. O do memorial propriamente dito é em forma de cone, como se fosse um vulcão", definiu Varela.

Trajetória. Ulysses começou a carreira política em 1947, quando se elegeu deputado estadual em São Paulo. No começo dos anos 1980, foi um dos principais líderes da campanha pelas Diretas Já. Com a derrota no Congresso Nacional da emenda que instituía a volta das eleições presidenciais diretas, articulou a campanha vitoriosa de Tancredo Neves na eleição indireta de 1984. Com a morte de Tancredo, José Sarney assumiu a Presidência. Ulysses se candidatou a presidente em 1989 pelo PMDB, mas teve apenas 4% dos votos válidos no 1º turno. Fernando Collor de Mello venceu a eleição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.