Ribeirão Preto terá o 1º crematório do nordeste de SP

Empreendimento deverá custar R$4,2 milhões e vai beneficiar cidades num raio de 500 quilômetros

BRÁS HENRIQUE,

09 de outubro de 2008 | 16h18

O Grupo Altstut, que idealizou o Memorial Necrópole Ecumênica em Santos, vai construir o primeiro crematório da região nordeste do Estado de São Paulo, em Ribeirão Preto. As obras devem começar nas próximas semanas, assim que tiver a liberação ambiental. O investimento será de R$ 4,2 milhões e a inauguração deverá ocorrer até o final de 2009. A meta dos investidores é atingir cidades num raio de até 500 quilômetros a partir de Ribeirão Preto. Flávio da Silva Amante, diretor comercial da Delc Ambiental, empresa do Grupo Altstut, responsável pela implantação e comercialização do Memorial Ribeirão Preto, diz que a meta é comercializar cerca de 100 títulos de cremação por mês. "E estando em Ribeirão Preto, poderemos prestar o serviço na região", comenta Amante. O serviço prestado na cidade será de cremação, cerimonial e urna, um produto feito por artista plástico, com vários formatos, em bronze ou resina. Os preços ainda não estão definidos, mas Amante informa que a intenção é fazer um trabalho semelhante ao de Santos, que teve o primeiro crematório humano privado do País, inaugurado em 1998. Na Baixada Santista, 80% dos planos de cremações são de vendas preventivas, ou seja, as pessoas compram os títulos antes da necessidade, pagando em parcelas até 36 meses. Os planos emergenciais são à vista, mais caros. Em Santos, esse plano emergencial sai por cerca de R$ 5 mil. O empreendimento do Memorial Ribeirão Preto ocupará uma área de 13,3 mil metros quadrados, no Jardim Paraíso, na zona norte do município. O prédio terá anfiteatro, capela ecumênica, restaurante e três salas de velório com suítes. Não existe, no momento, previsão de construção de cemitério vertical, como o Grupo Altstut mantém em Santos, ao lado do crematório. O grupo tem ainda outros quatro crematórios na Grande São Paulo e o Pet Memorial, o primeiro da América Latina para animais, em São Bernardo do Campo. Também não está previsto cinerário (local para guardar as cinzas dos falecidos) para Ribeirão Preto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.