Ribeirão lidera alta de homicídios

Região em torno de uma das cidades mais ricas do Estado teve 36% de aumento nos assassinatos neste ano - média do Estado foi de 6%

ARTHUR RODRIGUES, DANIEL TRIELLI, O Estado de S.Paulo

29 Agosto 2012 | 03h04

A região de Ribeirão Preto foi a que mais registrou aumento de homicídios no Estado de São Paulo neste ano. Entre janeiro e julho, foram 158 assassinatos nas 93 cidades do Departamento de Polícia Judiciária do Interior 3 (Deinter 3), contra 116 no mesmo período do ano passado - alta de 36,2%. Enquanto isso, na média paulista o crescimento foi de 6%.

O delegado seccional de Ribeirão Preto, Adolfo Domingos da Silva Júnior, afirma que o ápice dos homicídios aconteceu nos primeiros três meses do ano e que o índice vem se estabilizando desde então. "São crimes passionais, em razão de desavenças por tráfico de drogas, desinteligências, casos difíceis de fazer uma prevenção." Ele destaca, no entanto, que dois latrocínios na região foram solucionados.

A região de Ribeirão Preto também teve o maior crescimento de roubos de veículos entre os 11 departamentos de polícia do Estado. Foram 612 casos nos sete primeiros meses de 2011 e 833 entre janeiro e julho deste ano, alta de 36,1%. Na mesma comparação, o Estado teve aumento de 17,1%.

O delegado afirma que Ribeirão, uma das regiões mais ricas do Estado, é atrativa para bandidos. "Temos uma frota grande, um grande número de universidades, clínicas, o que atrai criminosos." Segundo ele, porém, não há uma grande quadrilha por trás do aumento nos índices. "Temos recuperado veículos em várias cidades, como Sertãozinho, São Carlos. Às vezes, criminosos de um lugar veem mais facilidade em agir em outra região."

O número geral de roubos, que não inclui o de veículos, também cresceu no Deinter 3. A alta de 6,9% (de 4.778 para 5.107) também foi acima da média paulista (4,6%).

Positivo. Na outra ponta, a região de Piracicaba teve a maior queda nos índices de homicídios (-20,6%), de 199 para 158 casos. A área do Deinter 9, que cobre 51 cidades, também registrou diminuição nos números de roubos (-1,7%) e furtos (-2,4%). Na conta, porém, não entram veículos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.