Revista pode ser necessária

No dia 29, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) publicou resolução confirmando itens que podem ou não ser levados em bagagens de mão de viagens domésticas e internacionais. E deliberando sobre revistas de passageiros, que podem ser obrigados a tirar sapatos ou "vestimenta que possa ocultar item proibido".

O Estado de S.Paulo

22 Dezembro 2011 | 03h01

Caso o alarme do detector de metais dispare, o passageiro tem o direito de tentar se livrar do item que acredita ter causado o disparo e passar de novo pelo detector. Mas, se apitar outra vez, o passageiro pode ser obrigado a tirar sapatos, casacos ou qualquer item que esteja cobrindo sua cabeça, como lenço. Também pode ter de passar por "busca manual", feita por uma pessoa do mesmo sexo. Se preferir, todo o processo pode ser feito em um lugar reservado.

A regra vale tanto para embarques nacionais quanto internacionais. O passageiro que se recusar a passar por qualquer um dos procedimentos poderá ter seu acesso à sala de embarque negado, mas tem o direito de ser ouvido por um agente da PF.

Nos voos para fora do País, continuam valendo as regras dos líquidos: na bagagem de mão, só até 100ml. Os frascos devem ser colocados em uma embalagem plástica transparente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.