Revisão foi promessa de campanha

A revisão nos contratos de pedágio e, consequentemente, nos valores pagos pelos motoristas, foi o tema central das últimas eleições para o governo estadual, em 2010. Agora, o caminho para que a promessa de campanha de Geraldo Alckmin (PSDB) seja cumprida esbarra nas concessionárias responsáveis pelas rodovias.

Renato Machado, O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2011 | 00h00

O anúncio de que todas as rodovias vão usar o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), geralmente menor que os demais, foi discutido e acertado com os empresários. No entanto, ficaram ainda pendências como a definição exata da contrapartida para as empresas. "A negociação aconteceu, mas as consequências dessa mudança ainda não estão fechadas", disse uma fonte das concessionárias.

Um trunfo do governo é usar as obras necessárias em cada rodovia - feitas pelas concessionárias, que geralmente resultam em aumento no tempo de concessão -, cuja negociação será endurecida, para que os empresários cedam em outros pontos. "Foi-se o tempo em que as concessionárias ganhavam também com obras", disse o secretário do Estado de Transportes e Logística, Saulo de Castro Abreu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.