Reuniões lembrarão 199 mortos de tragédia da TAM

Familiares das vítimas se reúnem com autoridades para obter informações sobre investigações

da Redação, estadao.com.br

18 de julho de 2008 | 08h34

Familiares e amigos das vítimas do vôo 3054 da TAM fizeram continuam nesta sexta-feira com uma maratona de eventos para celebrar a memória das 199 vítimas do acidente com o avião que vinha de Porto Alegre e se chocou contra o prédio da TAM Express, no Aeroporto de Congonhas. O acidente foi a maior tragédia da aviação brasileira. Nesta sexta, os parentes devem se encontrar com o diretor da polícia da capital, delegado Aldo Galiano, para obter informações sobre o andamento do inquérito policial que investiga as causas do acidente.   Veja também Um ano após tragédia, aviação vive 'calamidade silenciosa' Aeronáutica ainda não finalizou relatório Vôo 3054: o que se sabe um ano depois  As histórias por trás das vítimas do vôo 3054  Eldorado faz reportagem especial sobre o acidente Tudo sobre o acidente com o vôo 3054    Os parentes das vítimas também terão nesta sexta uma reunião sobre o andamento das investigações realizadas pelo Ministério Público Federal, com o Procurador Geral de Justiça, Rodrigo de Grandis. À tarde, por volta das 15 horas, eles se reúnem com o procurador do Ministério Público Federal Alexandre Gavronski, para tratar sobre a correção dos valores de indenizações.   No final da tarde, os familiares também terão uma reunião com o arquiteto Ruy Ohtake, que deverá ser o responsável pelo projeto paisagístico do Memorial em homenagem às vítimas, que deverá ser erguido no terreno onde ficava o prédio da Tam Express.   Na quinta-feira, 17, dia em que se completou um ano da tragédia, cerca de mil pessoas, segundo contagem informal da polícia, participaram da cerimônia, em um palco no terreno onde ficava o prédio, entre elas o prefeito Gilberto Kassab (DEM). Policiais interditaram os dois sentidos da Avenida Washington Luís.   Vasos com flores brancas, simbolizando as vítimas, foram depositados num coração desenhado em frente ao palco. Uma viúva hasteou a Bandeira Brasileira. Segundo o presidente da Associação dos Familiares e Amigos das Vítimas do Vôo 3054 (Afavitam), Dario Scott, ela ficará erguida até a construção de um memorial. Kassab disse que a obra começará assim que acabar a desapropriação, e que está em contato com o governo federal para construir áreas de escape.   Antes, às 17 horas, no saguão, parentes protestaram principalmente contra a TAM e fizeram um enterro simbólico. "Se precisar, vamos voltar dez anos até que os culpados sejam punidos", disse Christophe Haddad, que perdeu a filha Rebecca. Os funcionários ficaram em pé, quietos. Houve mais homenagens. O governo gaúcho concedeu a 41 pessoas que ajudaram as famílias das vítimas - como agentes da Defesa Civil, psicólogos, médicos e técnicos que trabalharam na identificação e no traslado de corpos - a medalha Negrinho do Pastoreio. Em Porto Alegre, na hora do acidente, 400 pessoas participaram da missa na catedral celebrada pelo arcebispo d. Dadeus Grings.   AGENDA 9 horas - Encontro dos familiares, sobre andamento do inquérito policial em São Paulo, como o diretor da polícia na Capital, Aldo Galiano11h30 - Reunião sobre o andamento das investigações realizadas pelo Ministério Público Federal, com o Procurador Geral de Justiça, Rodrigo de Grandis 15 horas - Reunião dos familiares com o Procurador do Ministério Público Federal Alexandre Gavronski, para tratar sobre a correção dos valores do seguro16 horas - Reunião dos parentes com o arquiteto Ruy Ohtake sobre o projeto do Memorial em homenagem às vítimas18 horas - Reunião com o advogado criminalista Eduardo César Leite, representante jurídico das famílias para o inquérito criminal que investiga o acidenteSábado11 horas - Ato cívico na Praça da Sé12 horas - Celebração eucarística na Catedral da Sé 16 horas - Reunião com o coronel Fernando Camargo, responsável pelas investigações do Centro Nacional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aéreos (Cenipa)Domingo11 horas - Concerto Sinfônico na Sala São Paulo, "Momento Cultural pela Valorização da Vida", com o Allegro Coral e Orquestra, regido pelo maestro Renato Misiuk

Tudo o que sabemos sobre:
vôo 3054crise aérea

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.