RETROSPECTIVA (II) : Fatos irrelevantes que marcaram 2012

Uma feira do livro em Ribeirão Preto terminou em conflito com a polícia;

O Estado de S.Paulo

28 de dezembro de 2012 | 02h04

José Genoino parou de fumar;

O marido de Ana Hickmann chamou o marido de Adriane Galisteu de frouxo;

O calcanhar de Aquiles subiu à cabeça de Adriano;

O brasileiro gastou R$ 5,92 bilhões em cuidados com animais de estimação;

Na contramão do aquecimento global, a Antártica bateu recorde de congelamento;

Sair de Cuba ficou mais fácil que entrar nos EUA;

Caiu a obrigatoriedade do visto de entrada para brasileiros nos seguintes países: Letônia, Malta, Chipre e Estônia;

Morreu mais gente no Japão em acidentes na banheira de casa - cerca de 14 mil pessoas no ano - do que em desastres de automóvel;

A ex-BBB Renata Dávila chupou o dedão do próprio pé em pose para a Playboy;

Padre Marcelo confessou que já tomou anabolizantes;

Neymar cortou quatro vezes o cabelo desde que começaram os boatos de seu namoro com a atriz Bruna Marquezine;

Um vibrador de ouro avaliado em R$ 8 mil foi roubado de uma sex shop em Brasília;

Cientistas israelenses desenvolveram um tipo de maconha que não dá barato;

O Rio promoveu a cachaça a patrimônio histórico e cultural do Estado;

Juliana Paes aproveitou a folga nas gravações de Gabriela para levar o marido a uma boate gay;

Luciano não se separou de Zezé di Camargo;

Milton Nascimento e Toninho Horta fizeram as pazes;

Rubinho Barrichello precisou usar todo seu charme em casa para dobrar a resistência da patroa com os chamados circuitos ovais;

Luana Piovani aproveitou o finalzinho de sua gravidez para bater boca pelo Twitter com o cara da capa da revista G Magazine.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.