Retomada de diálogo deverá ser prioridade

Retomar o diálogo do reitor com a universidade será uma das principais missões de Zago à frente da USP. "Será uma mudança radical. Sua postura é bem mais tranquila e aberta que a atual gestão", afirma o diretor licenciado da Poli, José Roberto Cardoso, que foi candidato a reitor, mas declarou apoio a Zago antes da votação final.

O Estado de S.Paulo

27 Dezembro 2013 | 02h05

O secretário-geral da Associação de Docentes da universidade, Francisco Miraglia, acredita que a questão orçamentária deve ser prioridade do reitor no primeiro ano de gestão. "É preciso abrir e tratar das contas internas", diz. Em novembro, o Estado mostrou que a USP gasta quase 100% dos seus recursos com a folha de pagamentos.

Entre as propostas de Zago estão a ênfase na graduação, com maior inclusão de jovens pobres, descentralização administrativa e mais colaborações da USP no desenvolvimento social e tecnológico. /B.F.S. e V.V.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.