Retirada de painel movimenta os Jardins

Um painel do artista Caciporé Torres foi retirado da fachada de uma galeria na altura do número 1.400 da Rua Haddock Lobo, nos Jardins, zona sul, onde estava havia cerca de 25 anos. O autor pretende processar os responsáveis.

CAMILA BRUNELLI , O Estado de S.Paulo

20 Outubro 2012 | 03h04

O painel foi feito a pedido do arquiteto Flávio Miranda, para quem ele deu aula quando era aluno do curso de Arquitetura na Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Segundo o artista, Miranda queria usar um imóvel para abrir uma galeria de design e pediu para que ele compusesse a obra. Há cerca de um mês, no entanto, a galeria fechou as portas e o imóvel deverá agora abrigar uma joalheria. Segundo um segurança, o painel foi retirado no dia 12.

Cozinheiro de um restaurante vizinho, Fred Gouveia, de 22 anos, disse que viu a escultura sendo retirada. "Foi rápido. Eles isolaram a calçada para não passar nenhum pedestre e desmontaram tudo. Ainda perguntei para onde levariam as peças e eles disseram que era para o depósito da galeria."

Dona de uma galeria de arte vizinha, Sabina de Libman disse não querer se envolver nesse problema, mas afirmou que "Caciporé é um artista importante, consagrado, cuja obra deveria ser sempre respeitada".

Referência. Vizinhos do prédio telefonaram ao Estado para relatar o corrido. O artista também recebeu ligações. "Aquele painel fazia parte da geografia da Haddock Lobo, tornou-se um ponto de referência da cidade", disse Caciporé Torres. "Foi tudo feito escondido. Vou falar com meu advogado e pretendo processar os responsáveis. Eles não podiam ter feito isso sem me consultar." Por enquanto, o imóvel está fechado e com um plástico preto sobre a fachada. O dono do imóvel, Flávio Miranda, foi procurado, mas até as 20 horas de ontem não havia sido localizado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.