Restaurante sofre 3º arrastão no ano

Quatro bandidos fortemente armados roubaram bolsas, celulares, dinheiro e joias de clientes do Gogó da Ema, no Morumbi

FABIANO NUNES, O Estado de S.Paulo

03 Dezembro 2011 | 03h01

Outro arrastão dentro de um restaurante foi registrado na noite de quinta-feira em São Paulo. Dessa vez, os bandidos atacaram os clientes do Gogó da Ema, que fica na Rua José Jannarelli, esquina com a Rua Amélia Corrêa Fontes Guimarães, no Morumbi, zona sul.

Foi o terceiro ataque desse tipo no local em menos de um ano. Pelos menos 73 arrastões a bares e restaurantes foram registrados pela Polícia Civil em 2011 na capital paulista.

De acordo com a Polícia Civil, a quadrilha chegou ao local por volta das 21h30 de anteontem. Segundo relatos das testemunhas, o grupo estava em uma Toyota Fielder cinza. "Os clientes viram quatro bandidos, que entraram na casa e fizeram o arrastão. Provavelmente outros homens ficaram do lado de fora", contou o delegado Vilson Genestretti, titular do 34.º Distrito Policial (Morumbi), onde o caso foi registrado.

As testemunhas disseram que o grupo estava fortemente armado. Em apenas dez minutos, eles levaram bolsas, celulares, relógios, dinheiro e joias. "Foi a terceira vez aqui. O bairro está completamente desprotegido. Infelizmente, os ataques ao restaurante já viraram rotina", disse uma vendedora de 26 anos, que frequenta o local e não quis ser identificada.

A direção do restaurante também não quis comentar o ataque. De acordo com o gerente, o local tem circuito de câmeras de segurança, mas a polícia não conseguiu identificar os suspeitos pelas imagens.

Novo grupo. Segundo o delegado, foi o primeiro caso de arrastão dentro de restaurante registrado desde julho, quando uma quadrilha foi desmantelada. "No fim do primeiro semestre, prendemos uma quadrilha que atacou dezenas de restaurantes na capital. Depois disso, esse tipo de crime não havia mais acontecido na região. Estamos investigando para identificar essa nova quadrilha", explicou.

Mais da metade dos arrastões registrados neste ano aconteceu na Vila Madalena, em Pinheiros, no Itaim-Bibi, no Morumbi e na Lapa. A Chácara Santo Antônio e a Granja Julieta, na zona sul, porém, foram os principal alvos dos ladrões no segundo semestre do ano.

Até setembro, a Polícia Civil prendeu dez acusados de envolvimento em 13 casos. Todos eram jovens e, segundo a polícia, participaram dos arrastões por oportunismo.

O diretor jurídico da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Percival Maricato, também considera que houve uma queda nessa modalidade de crime no segundo semestre. "Mas é preciso tomar cuidado. Quando uma quadrilha obtém sucesso nesse tipo de ataque, outros grupos começam a repetir a ação em outros pontos. Esperamos que a polícia, sabendo disso, corra atrás (dos responsáveis pelo arrastão no Morumbi)", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.