Ressaca causa prejuízos no litoral norte paulista

Água do mar invadiu ruas, imóveis e estradas de várias cidades; pousada e casa foram danificadas em Caraguatatuba

Reginaldo Pupo, O Estado de S.Paulo

18 Março 2011 | 00h00

Uma ressaca provocou prejuízos no litoral norte paulista. O mar destruiu parcialmente uma residência na Praia de Massaguaçu, em Caraguatatuba, e destruiu parte do piso, do muro e da fossa séptica de uma pousada. A força do mar também arrancou árvores na cidade. Na Praia Martim de Sá, a mais procurada do município, o mar chegou bem próximo dos quiosques.

A Praia de Massaguaçu é a mais atingida sempre que há ressacas. Há alguns anos, ondas fortes destruíram parte do acostamento da Rodovia Rio-Santos, que fica ao longo da orla. Moradores temem que o mar avance ainda mais, pois essa é a tendência observada nos últimos anos. Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros monitoram a situação.

Na região central de Ilhabela, algumas ruas e trechos da principal avenida ficaram alagados. Com ondas que chegaram a 3 metros de altura, poucos pescadores se arriscaram a sair no mar.

Balsas que fazem a travessia São Sebastião-Ilhabela navegam em velocidade abaixo do normal por causa da forte correnteza. Na madrugada de ontem, quarteirões inteiros do bairro Barra Velha ficaram alagados.

Em São Sebastião, a ressaca provocou o transbordamento de galerias pluviais e a água do mar atingiu algumas ruas do centro pelos bueiros. No bairro Canto do Mar, que faz divisa com Caraguatatuba, residências foram inundadas. No Porto Grande, donos de casas fizeram barricadas com pedras e pneus.

Invasão. Dados do Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo (USP), com base em levantamento feito ao longo da costa brasileira desde 1980, revelam que o nível do mar está aumentando cerca de 40 centímetros por século, ou quatro milímetros por ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.