Responsáveis pela morte de menina em Higienópolis são transferidos

Trio, que confessou o crime, foi levado para o Centro de Detenção Provisória de Guarulhos

Gheisa Lessa,

22 Outubro 2012 | 11h41

SÃO PAULO - Os três criminosos autores do assalto que resultou na morte da adolescente Caroline Silva Lee, de 15 anos, em Higienópolis na madrugada de domingo, 21, foram transferidos para o Centro de Detenção Provisória de Guarulhos na manhã desta segunda-feira, 22. O trio foi preso em flagrante e vai responder por latrocínio e por roubo duplamente qualificado. A pena mínima, somados os dois crimes, é de 33 anos, de acordo com a Polícia Civil.

Marcos Vinicius Correa Gomes, de 19 anos, Alex Rodrigues Venancio, de 18 anos, e Claudinei Avelino Modesto, também de 18 anos, estavam presos no 26º Distrito Policial (Sacomã) desde que foram detidos pela Polícia Militar depois do crime.

Em depoimento prestado no 27ºDP (Campo Belo), eles assumiram o assalto e o assassinato da jovem. O mais velho do trio, Marcos Gomes, foi o autor dos dois disparos que a mataram.

Caroline voltava de uma festa com seu namorado quando foi abordada pelo trio na Rua Sabará, em Higienópolis. Eles roubaram o casal e depois atiraram contra a menina. Os três fugiram em um carro, Fiat Idea - roubado há uma semana - quando começaram a ser perseguidos pela polícia.

Durante a fuga, eles perderam o controle do veículo e bateram na Rua 23 de Maio. Presos, foram levados para depor no 27ºDP sobre o caso.

Gomes, Venancio e Modesto também confessaram o roubo do carro que usavam no momento do crime. O veículo foi levado depois de os mesmos três homens terem rendido e roubado a casa de uma família na manhã do domingo, 14. As vítimas reconheceram os três bandidos na delegacia.

Depois de falar com o delegado, eles foram levados para a carceragem do 26ºDP (Sacomã), onde ficaram presos até a manhã desta segunda, quando foram levados ao CDP de Guarulhos, na Grande São Paulo. Gomes, Venancio e Modesto ficarão presos, no mínimo, por 33 anos, de acordo com o delegado Francisco Solano.

Mais conteúdo sobre:
Caroline Silva Leeviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.