Resgate impossível

PROGRAMA DE MILHAS DA TAM

O Estado de S.Paulo

24 Abril 2012 | 03h04

O programa de milhas da TAM é uma enganação. Estou tentando viajar para os Estados Unidos utilizando meus pontos e nunca consigo. Comecei a ligar para a empresa com 6 meses de antecedência da data da viagem e já perdi a conta de quantas vezes já o fiz. A companhia quer que eu desista de viajar com os pontos, pois, assim, terei de comprar a passagem. O programa de milhas não é um favor que ela faz aos passageiros, pois as operadoras de cartão de crédito pagaram por essas milhas, mas a empresa restringe o acesso a um benefício que ela mesma afirma oferecer a seus clientes. Na hora de oferecer o programa, a TAM passa a ideia de um resgate cheio de facilidades e benefícios, o que é mentira. Ou seja, tenho pontos para resgatar e simplesmente não poderei utilizá-los.

BIANCA ABRUNHOSA CEZAR RISSO / SÃO PAULO

A TAM enviou um e-mail esclarecendo a nova funcionalidade implantada com o objetivo de flexibilizar a emissão de bilhetes com pontos do Programa TAM Fidelidade. A companhia criou classes irrestritas, em que é possível emitir um bilhete com pontos em qualquer voo, em qualquer época do ano, desde que haja lugares disponíveis para reserva. Essas classes irrestritas exigem uma pontuação superior. A empresa recomenda que a leitora verifique a possibilidade de viajar em outras datas ou consulte a Central de Vendas periodicamente.

A leitora ironiza: A resposta da TAM é sempre a mesma, inútil. Reclamei sobre as condições absurdas impostas aos participantes do Programa Fidelidade, que tornam impossível conseguir passagens com milhas, e a empresa sugere que eu fique ao telefone constantemente?

TAM VIAGENS

Débitos não reconhecidos

Comprei pela TAM Viagens tíquetes aéreos para vários destinos, como Miami, Las Vegas, etc. Os funcionários da empresa ficaram com os dados confidenciais do meu cartão corporativo American Express, recém-emitido. Em pouco menos de um mês das compras, foram feitas transações no meu cartão e debitados valores altos, que desconheço. Essa situação resultou num grande prejuízo financeiro e moral para minha empresa. A TAM está se eximindo de qualquer responsabilidade. Alega que isso é um fato comum e pede para eu entrar em contato com a empresa de cartão de crédito. Trata-se de uma fraude de quase R$ 16 mil!

RICARDO POLACOW ZYLBERMAN

/ SÃO PAULO

A TAM contatou por e-mail o

sr. Zylberman para reiterar que é necessário que seja aberto um processo de "Não Reconhecimento de Despesa" no banco emissor do cartão. Informou também que um alerta foi encaminhado aos departamentos responsáveis para conhecimento. Esclarece que as administradoras de cartão de crédito também são responsáveis pela segurança das operações realizadas com o cartão.

A American Express não

respondeu.

O leitor informa: A American Express fez com que esse valor entrasse como crédito e disse que iria apurar essa questão. Já a TAM se exime de qualquer responsabilidade. Por que a TAM não identifica quem realizou as transações?

CPTM - TRANSTORNOS

Barulho dos trens velhos

Reclamo do barulho feito pelo trem da CPTM quando passa pela Rua Capistrano de Abreu, Barra Funda. Um funcionário da Ouvidoria informou que os trens buzinam para que as pessoas saiam do trilho. De qualquer forma, o barulho emitido pelo próprio trem incomoda a vizinhança, principalmente os trens de carga. Se a Prefeitura fecha o Minhocão por causa do barulho, por que também não faz algo para abafar o som ensurdecedor?

LARISSA LOPES BUENOS AYRES

/ SÃO PAULO

A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) esclarece que na região da Estação Palmeiras-Barra Funda há uma passagem em nível com travessia de pedestres. Em razão disso, o acionamento da buzina dos trens na aproximação desse tipo de cruzamento é norma de segurança. Entretanto, para minimizar os transtornos causados aos moradores vizinhos à ferrovia, a CPTM orientou os seus maquinistas para que acionem a buzina de maneira moderada ao passar por esse trecho.

A leitora comenta: A buzina permanece alta, além do barulho do próprio trem, por ser muito velho. Como existe o Psiu da Prefeitura que fiscaliza os ruídos dos bares, deveria existir um órgão responsável por analisar o grau de barulho emitido por alguns trens. Só quem mora na região sabe como essa situação gera transtorno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.