Resgate de vítima de moto cresce 148% em 10 anos

Em dez anos, a quantidade de atendimentos a vítimas de acidentes com motos aumentou 148,6% na cidade de São Paulo. Os dados levam em conta os casos de atendimento pré-hospitalar, feitos pelas equipes de resgate. Foram 18.081 ocorrências em 2010, ante 7.271 em 2001, segundo dados do Corpo de Bombeiros tabulados pelo Hospital das Clínicas (HC).

, O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2011 | 00h00

Os números do ano passado mostram uma pequena queda em relação a 2009, quando houve 19.657 atendimentos. Mas não necessariamente indicam melhora. "Houve, nos últimos anos, crescimento e aprimoramento do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Então, os bombeiros não são mais os únicos a fazer esse primeiro atendimento. Os números dos bombeiros diminuíram por esta razão, não porque houve melhora", conta a médica fisiatra do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do HC, Júlia Greve.

Os dados foram usados pela equipe para criar propostas que possam reduzir o número de acidentes com mortes. A principal delas seria o aumento no rigor para tirar habilitação de moto. Outro objetivo é exigir cursos específicos. "É preciso levar o motociclista normal a cursos como os que agora os motofretistas precisam fazer", diz a médica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.