Reservatórios da capital têm nível 'satisfatório'

A Sabesp afirma que os reservatórios que abastecem a capital paulista e a Região Metropolitana estão operando em níveis satisfatórios. Questionada sobre eventuais riscos de abastecimento, a empresa evita responder.

O Estado de S.Paulo

05 de setembro de 2012 | 03h04

Em nota enviada ontem, a Sabesp diz que "os reservatórios estão operando em níveis satisfatórios. A falta de chuva no período de seca não compromete a capacidade dos reservatórios, porque a água acumulada durante os últimos períodos de chuva nos permite utilizá-la agora, quando a estiagem é mais forte".

Questionada novamente, especificamente sobre risco de racionamento caso a estiagem persista, a empresa não se manifestou mais. O site da Sabesp atualiza diariamente o nível dos reservatórios. Os dois mais baixos são justamente os Sistemas Alto Tietê (48,1% da capacidade) e Cantareira (67,3% da capacidade). Ambos estão, também, com menos volume de água do que há exatamente um ano. O Alto Tietê registrava 63,6% da capacidade e o Cantareira, 80,6%.

O Sistema Guarapiranga, principal reservatório da cidade de São Paulo, estava até ontem com 76,5% da capacidade. É um volume armazenado maior do que o registrado no ano passado - 60,3%.

Apesar disso, segundo a nota enviada pela Sabesp, a produção de água em São Paulo cresceu. "Em agosto deste ano, a produção média esteve cerca de 2,5 metros cúbicos por segundo acima do mês de agosto de 2011." / BRUNO RIBEIRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.