Representantes do Center Norte e da Cetesb se reúnem no Ministério Público

MP pretende firmar acordo para que shopping cumpra as exigências da Cetesb

Luísa Alcalde, Jornal da Tarde

28 de setembro de 2011 | 14h23

SÃO PAULO - Representantes do Shopping Center Norte e da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb) estão reunidos na tarde desta quarta-feira, 28, no Ministério Público Estadual para tentar firmar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para que o empreendimento cumpra as exigências estabelecidas pelo órgão estatal para exalar o gás metano do subsolo

Caso o centro comercial não siga as recomendações propostas pelo MP, a promotora do Meio Ambiente, Cláudia Fedeli poderá entrar com uma ação civil pública contra o shopping. A reunião deverá ser concluída no final desta tarde.

Na terça-feira, , a Prefeitura emitiu um auto de interdição ao shopping Center Norte, seu complexo de estacionamentos, o hipermercado Carrefour e o Lar Center, que ficam em região contaminada por gás metano na zona norte de São Paulo. Os estabelecimentos têm 72 hora para fechar, pois, segundo a Prefeitura, há risco de explosão. Além de ter que suspender suas atividades, o estabelecimento foi multado em R$ 2 milhões por descumprimento do Artigo 62 da Lei de Crimes Ambientais.

Representantes da Cetesb afirmaram nesta quarta-feira pela manhã, na Câmara Municipal, que o órgão não vai emitir parecer pela abertura do Center Norte até sexta-feira. Para reverter o auto de interdição emitido pela Prefeitura e que precisa ser cumprido até sexta-feira de manhã, o shopping teria de enviar à Secretaria Municipal do Verde um documento da Cetesb mostrando que nove drenos para exalar o gás metano do subsolo já estão funcionando. "Isso vai ser impossível Até hoje só tem um dreno funcionando e nós ainda considerados que nove serão insuficientes", afirma Rodrigo Cunha, gerente de áreas contaminadas da companhia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.