Represas secas provocam racionamento e até multa em SP

Sabesp descarta racionamento, que só deve ocorrer se as chuvas não chegarem após o final do inverno

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

19 de setembro de 2007 | 19h09

A estiagem no Estado de São Paulo está provocando o racionamento de água em Guarulhos, na Grande São Paulo, e em pelo menos três municípios do Interior: Santa Cruz das Palmeiras, Limeira e Indaiatuba, segundo reportagem do jornal Hoje, da TV Globo. Em Colina, a prefeitura decretou punição para os moradores que desperdiçam. Quem for flagrado vai receber multa.  Em São Joaquim da Barra, na região Nordeste de São Paulo, o volume de água do Rio Sapucaí diminuiu 20% em apenas dez dias. Em muitos trechos, o rio desapareceu e já é possível andar sobre as pedras. Só barco a remo consegue navegar em alguns trechos dos rios Pardo e Mogi, em Viradouro.  Já na Capital, a represa de Guarapiranga tem nesta quarta-feira, 19, apenas 45% de sua capacidade ocupada pela água. A areia avança da margem até no centro da represa, onde as aves já pousam tranquilamente. Na média, o nível dos reservatórios que abastecem a região metropolitana de São Paulo está 10% abaixo do registrado no mesmo período do ano passado.  A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) descarta a possibilidade de racionamento. Isso só deverá ocorrer, de acordo com os técnicos da companhia, se as chuvas não chegarem após o final do inverno.  São Paulo está sem chuva desde 25 de julho, há quase dois meses.

Tudo o que sabemos sobre:
RepresasSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.