Renascer é impedida de reconstruir templo que desabou em SP

Segundo promotora, alvará não poderia ter sido concedido porque igreja não cumpriu uma série de normas

Priscila Trindade, da Central de Notícias,

03 de dezembro de 2009 | 17h32

A Justiça de São Paulo suspendeu nesta quinta-feira, 3, o alvará da Prefeitura que permitia à Igreja Cristã Apostólica Renascer em Cristo reconstruir sua sede na Avenida Lins de Vasconcelos, na zona Sul da capital. No dia 18 de janeiro deste ano, o teto do prédio desabou deixando nove mortos e centenas de feridos.

 

No pedido feito pelo Ministério Público do Estado de São Paulo, em ação civil movida pela Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo, a promotora Mabel Schiavo Tucunduva Prieto de Souza sustenta que o alvará não poderia ter sido concedido porque a Igreja Renascer não cumpriu uma série de exigências de normas nos últimos anos.

 

Caso a decisão seja descumprida, a Igreja Renascer terá que pagar multa diária de R$ 50 mil.

Tudo o que sabemos sobre:
Igreja RenascerSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.