Divulgação
Divulgação

Relógios de Abadia, estimados em R$ 2,1 milhões, vão a leilão na segunda-feira

Vinte modelos que já pertenceram ao traficante irão a leilão pela segunda vez; preço inicial mais caro é R$ 442 mil

05 Outubro 2012 | 12h32

SÃO PAULO - Vinte relógios da coleção do colombiano Juan Carlos Ramirez Abadia, o maior traficante de drogas já preso no Brasil, vão ser leiloados nesta segunda-feira, 8, pela Justiça Federal em São Paulo. Avaliadas em R$ 2,1 milhões, as peças já foram a pregão no dia 24 de setembro mas o único modelo comprado não foi pago e voltou à lista.

Os relógios estão sendo leiloados por terem sido adquiridos com recursos do tráfico internacional de drogas e da lavagem de dinheiro e receberam um desconto de 25% para estimular os interessados.

O leilão será realizado a partir das 14h30 no auditório do Fórum Criminal da Justiça Federal, na Alameda Ministro Rocha Azevedo, 25.

Entre os bens, estão marcas como Cartier, Bvlgari e Rolex, que partem dos R$ 9.450 e podem chegar a R$ 442 mil, caso do suíço Audemar Piquet.

O juiz federal Marcelo Costenaro Cavali, substituto da 6ª Vara Criminal Federal em São Paulo, determinou a alienação antecipada em virtude do tempo decorrido desde a apreensão dos relógios e de sua dificuldade de conservação.

De acordo com o magistrado, não haverá prejuízo a Abadia caso haja reversão de condenação em instâncias superiores, porque o o dinheiro arrecadado no leilão será depositado em conta judicial.

Em paralelo ao pregão presencial, já está sendo relaizado um leilão eletrônico no site da empresa Superbid Gestor Judicial (www.superbidjudicial.com.br). É preciso realizar um pré-cadastro para dar lances.

Abadia.O megatraficante colombiano foi preso pela Polícia Federal em agosto de 2007 em Aldeia da Serra, Grande São Paulo, e extraditado para os Estados Unidos no ano seguinte. Ele foi condenado a 30 anos de prisão por quatro crimes: formação de quadrilha, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e uso de documentos falsos.

Em abril de 2008, cerca de 3 mil objetos que pertenciam ao megatraficante foram a leilão em um evento no Jockey Club, na zona sul, rendendo R$ 1,1 milhão.

 

Entre os itens, havia cuecas de marcas famosas, um pé de cabra e vários utensílios com a marca "Hello Kitty", que pertenciam à mulher de Abadía. Tudo foi vendido.

Entre os objetos mais caros arrematados no leilão estavam um relógio de R$ 97 mil e uma bicicleta de R$ 10 mil.

Mais conteúdo sobre:
abadia leilão relógios

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.