Relatório confirma problema em helicóptero com filho de Alckmin

Relatório confirma problema em helicóptero com filho de Alckmin

Peritos da Cenipa concluíram que haste da aeronave estava desconectada; acidente deixou cinco mortos, entre eles Thomaz Alckmin

O Estado de S.Paulo

13 Abril 2017 | 18h55

SÃO PAULO - A haste de comando do helicóptero que caiu há dois anos, em abril de 2015 e deixou como vítima o filho caçula do governador Geraldo Alckmin (PSDB) e mais quatro pessoas, estava desconectada. Esta é a principal conclusão do relatório final elaborador por peritos do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). 

O documento elaborado pelo Cenipa foi entregue nesta quinta, 13, a Alckmin, em reunião ocorrida no Palácio dos Bandeirantes, da qual participaram o ministro da Defesa, Raul Jungmann, e o comandante da Aeronáutica, brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato.

O acidente ocorreu em Carapicuíba, na Grande São Paulo, em 2 de abril de 2015, com helicóptero da empresa Seripatri. Além de Thomaz Alckmin, morreram o piloto Carlos Haroldo Isquerdo Gonçalves e os mecânicos Paulo Henrique Moraes, Erick Martinho e Leandro Souza.

Sem o comando da haste, o piloto consegue fazer a aeronave decolar mas fica sem condições de manobrá-la corretamente. A conclusão do relatório corrobora versão apresentada pela Força Aérea Brasileira (FAB) em julho de 2015.

O relatório ainda ressalta que havia um passageiro, não habilitado na aeronave, ocupando assento do copiloto. E afirma que a rotina de trabalho da equipe de manutenção sofria com acúmulo de funções, interferências e interrupções diversas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.